Espetáculo aborda a Síndrome de Borderline

entretenimento
20.04.2021, 13:00:00
As atrizes Evelyn Bucchenger, Aícha Marques e Mariana Moreno no espetáculo Alimentando as Feras (divulgação)

Espetáculo aborda a Síndrome de Borderline

O espetáculo Alimentando as Feras está em temporada até domingo (25) no canal do projeto no YouTube

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Três mulheres com transtorno Borderline, com perfis e histórias de vida bem distintas, se encontram em uma sala virtual para uma sessão de terapia em grupo. Ao perceberem que o psicanalista não aparece, resolvem fazer a sessão sem ele, num mergulho na psiquê das personagens e em temas contundentes como autoflagelo, TOC, cleptomania, ansiedade, depressão, compulsão em sexo, consumismo e corrupção.

A narrativa tragicômica, que tem classificação etária de 18 anos, dá o tom do espetáculo Alimentando as Feras, que aborda temas relevantes como saúde mental, relações, ética e inteligência emocional. Sua escrita teve como suporte teorias e conceitos bastante discutidos na psicanálise atual. A apresentação acontece no Youtube da Carambola Produções.

O texto escrito pela atriz Aícha Marques foi contemplado no Selo João Ubaldo Ribeiro de 2020. Segundo a autora, a trama foi escrita especialmente para as atrizes Evelin Buchegger, Mariana Moreno e a própria Aícha Marques. Na direção, Sofia Federico, uma experiente profissional da área cinematográfica. A proposta consiste numa experiência teatral no audiovisual, com integração máxima entre essas linguagens.

SERVIÇO: Alimentando as Feras | De Terça (20) a domingo (25), 19h | Youtube | Gratuito
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas