EUA detecta falha em satélite brasileiro e alerta para risco de queda

brasil
03.03.2021, 17:30:23
Atualizado: 03.03.2021, 18:03:55
(Divulgação/Inpe)

EUA detecta falha em satélite brasileiro e alerta para risco de queda

Satélites italianos também detectaram as mesmas ondas irregulares que causam possível descontrole

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Sistema de Monitoramento de Comunicações dos Estados Unidos (Satcom) informou nessa terça-feira (2) que foram detectadas ondas de frequência irregulares no sinal do satélite brasileiro Amazônia 1, lançado ao espaço no último domingo (28).

De acordo com Satcom, um satélite americano detectou variações relevantes na banda S do Amazônia 1, que transmite na frequência UHF. Essas irregularidades podem apontar que o satélite esteja descontrolado no espaço, e até mesmo com risco de cair na Terra.

Além do satélite americano, satélites italianos também detectaram as mesas ondas irregulares. Procurado pelo Correio Braziliense, o Ministério da Ciência e Tecnologia afirmou que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que o satélite opera normalmente, e negou que esteja fora de controle.

O Amazônia 1 foi colocado em órbita pela missão PSLV-C51, da agência espacial indiana Indian Space Research Organisation (ISRO). Com seis quilômetros de fios e 14 mil conexões elétricas, o satélite integra a Missão Amazônia 1, que tem, por objetivo, fornecer dados de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento, especialmente na região amazônica, além de monitorar a agricultura no país.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas