Evento gratuito celebra música jamaicana na Barroquinha

entretenimento
24.11.2017, 06:12:00
Atualizado: 24.11.2017, 11:34:28

Evento gratuito celebra música jamaicana na Barroquinha

Idealizado pela cantora Livia Nery, Coro de Rua acontece na Rua do Couro, domingo (26), às 15h

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Bem ali no Centro da cidade, em frente à Praça Castro Alves e ao lado do Espaço de Cinema Glauber Rocha, está a Escadaria da Barroquinha, mais conhecida entre os soteropolitanos como Ladeira do Couro. É lá que, nesse domingo,  acontece a primeira edição do Coro de Rua, um evento que celebra a conexão da cidade com a cultura dos sound systems jamaicanos. 

Idealizado pela cantora e compositora Lívia Nery, a ocupação sonora que toma conta do Centro Histórico, também no dia 10 de dezembro, vai reunir nomes como os baianos Danzi Love Jah, Vandal, Áurea Semiséria, além de Karina Buhr (PE), BNegão (RJ)  e Mis Ivy (SP). 

(Foto: Divulgação)


A  amplificação fica por conta do Ministereo Público Sistema de Som. Formado pelos DJs Raiz e Pureza e pelo soundman Regivan Santa Barbara, o grupo leva seu mais novo paredão de som às escadarias, depois de testá-los duas vezes em apresentações na Arena Fonte Nova. “A expectativa para o Coro de Rua é grande por conta de todos os artistas envolvidos e, ao mesmo tempo, vai ser surpreendente pelo fato de ser na escadaria, um lugar aberto”, comenta DJ Raiz. 

Ocupação
Além dos shows, o evento contará com barraquinhas de gastronomia e artesanato, feira de vinil e, como acontece no fim da tarde, o público ainda poderá curtir um belo pôr do sol da Baía de Todos os Santos.

O Coro de Rua surgiu depois de Livia Nery apresentar o show Vulcanidades - Baile Experimento no Teatro Gregório de Mattos, em abril. “Foi lá que surgiu a inspiração! Achamos que a escadaria, vizinha ao teatro, seria um lugar incrível para relembrar o clima da Jamaica no momento em que os sistemas de som surgiram para as pessoas que não tinham grana para ver shows nos clubes. Esse tipo de evento tem uma conexão muito grande com a forma como consumimos música na Bahia”, lembra Lívia, ao destacar que o Centro é quase um QG da nação reggae na cidade.

(Foto: Divulgação)

Apesar de não ser uma cantora de reggae, o repertório autoral de Lívia passeia pelo universo do dancehall, do dub, do ska, do ragga, entre outras referências. “A Jamaica tem uma influência marcante não só na música que faço, mas em toda a minha geração. Essa informação aparece em estilos musicais diversos, através do uso de efeitos sonoros como delays e reverbs e na utilização do dub como técnica de mixagem. Além, é claro, do gosto herdado pelos subgraves do baixo”, destaca, ao lembrar que a interlocução dela com os convidados do Coro de Rua já acontece há um tempo, facilitada sobretudo por festivais. “O Coro de Rua não é um festival, porque é mesmo uma ocupação de rua, não tem palco, nada disso. Mas toda oportunidade de estar junto de artistas com quem a gente gosta e quer se relacionar é boa”, comenta Lívia.

Para ela, outro trunfo do evento é levar movimento ao Centro Histórico de Salvador aos fins de semana. “Tem pessoas que têm resistência, acham que é violento, mas a solução é frequentar, não é fazer corte seletivo. A solução é ocupar o centro com respeito e com cuidado ao que já existe por lá para recuperar o vigor, a riqueza e a beleza”, diz.

Serviço: Escadaria da Barroquinha, Rua do Couro. Domingo (26) , a partir das 15h. Com Livia Nery, Karina Buhr, Mis Ivy, Danzi Love Jah e Ministereo Público

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas