Ex-aluno da Uefs desenvolve respirador pulmonar de baixo custo

coronavírus
03.07.2020, 09:35:00
Atualizado: 03.07.2020, 10:14:37
(Divulgação)

Ex-aluno da Uefs desenvolve respirador pulmonar de baixo custo

Aparelho tem custo de R$ 6,5 mil, enquanto um convencional era comercializado a R$ 60 mil antes da pandemia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pesquisadores independentes e voluntários liderados por Rodrigo Costa dos Santos, ex-aluno do curso de Engenharia da Computação da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), e atualmente primeiro sargento do Exercito Brasileiro, concluíram um protótipo de respirador pulmonar de baixo custo como alternativa aos equipamentos de saúde usados nos casos graves de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O Respiral 2.0, como foi batizado pelos pesquisadores, tem seus insumos em torno R$ 6.500, valor bem abaixo de um respirador convencional, que era comercializado a R$ 60 mil antes da pandemia. Com o protótipo pronto, a equipe pretender doar para as forças armadas e/ou fábricas de produtos hospitalares que tenham intuitos filantrópicos, com isso dando suporte principalmente a hospitais públicos e hospitais militares neste momento tão delicado de pandemia.

O equipamento utiliza acionamento pneumático e válvulas solenoides como princípio de funcionamento para gerar ventilação aos pulmões de forma mecânica e possui sensores de fluxo de ar, de pressão e de volume, com display touch para configuração de parâmetros por parte do profissional de saúde de acordo com as necessidades do paciente.

A equipe multidisciplinar do projeto é formada por Thiago Sandes, engenheiro eletricista, e especialista em respiradores mecânicos; Cleberson Machado, engenheiro mecatrônico e especialista em eletrônica; Bruno Martinelle, discente do 7º período de engenharia mecatrônica e especialista em modelagem 3D; e Wylken Machado, cientista da computação e mestre em modelagem computacional.

No desenvolvimento do primeiro protótipo, a equipe também contou com Ícaro Santos, aluno de mecatrônica; com o professor Edison Camilo de Moraes Júnior, do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) mestre em engenharia da produção; e com Adriano Nunes, médico e jurista. O projeto pode ser acessado na rede social Instagram @projeto.respiral.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas