Ex empresário de Lewandowski é preso por chantagear o atacante

esportes
27.10.2020, 13:00:00
Polonês procurou a polícia para denunciar chantagem (Christof Stache/AFP)

Ex empresário de Lewandowski é preso por chantagear o atacante

Jornais poloneses e alemães informam que Cezary Kucharski exigiu 20 milhões de euros para não vazar informações pessoais do jogador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ex-empresário de Robert Lewandowski foi preso pela polícia na Polônia, nesta terça-feira, diante das acusações de que teria chantageado o jogador do Bayern de Munique para conseguir dinheiro.

O porta-voz da promotoria de Varsóvia, Marcin Sadus, disse que foi ordenada a detenção de Cezary Kucharski como parte de sua investigação sobre informações passadas por Lewandowski de ameaças feitas contra ele. Ele explicou que as buscas foram realizadas na casa e nos escritórios do empresário, agora alvo de investigação pelo crime de extorsão.

A mídia polonesa informou no mês passado que Kucharski exigiu 20 milhões de euros (aproximadamente R$ 133 milhões) de Lewandowski por seu trabalho no passado com o atacante. Já a revista alemã Der Spiegel diz que o empresário teria cobrado o valor para não tornar públicas informações privadas sobre o atacante do Bayern.

A Der Spiegel afirma, ainda, que Kucharski havia acusado o jogador e sua esposa, Anna Lewndowski, de terem usado dinheiro da empresa que tinham em comum para pagar despesas privadas, como viagens de luxo.

Lewandowski nega estar devendo dinheiro o empresário, sendo tratado apenas como vítima na investigação criminal. "As exigências monetárias não tinham nenhuma base com as relações contratuais entre eles", explicou Sudus.

Kucharski, ex-jogador da seleção polonesa e ex-parlamentar do Partido da Plataforma Cívica foi o empresário de Lewandowski por 10 anos, até 2018, tendo participação direta nas negociações de transferência do atacante para o Borussia Dortmund e, posteriormente, ao Bayern.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas