Exposição celebra centenário do pintor e escultor Amilcar de Castro

entretenimento
30.10.2020, 06:00:00
Obras de Amilcar de Castro que estão na exposição em Salvador (fotos divulgação)

Exposição celebra centenário do pintor e escultor Amilcar de Castro

Paulo Darzé Galeria recebe 45 obras do artista mineiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quando o isolamento ainda não estava na fase de flexibilização, muitos espaços dedicados às artes plásticas promoveram exposições virtuais, o que permitiu aos seus admiradores, ao menos, matar as saudades de uma visita a um museu. Mas a experiência, por mais moderna que seja, jamais vai se comparar a ver um quadro ou uma escultura ao vivo, afinal o artista, quando concebeu sua criação, pensou em elementos como cores e dimensões para serem apreciados  pessoalmente.

Amilcar de Castro (reprodução site Instituto Amilcar de Castro)

Embora a pandemia ainda esteja longe de acabar - basta observar os índices de contaminação elevados na Europa -, alguns espaços públicos estão voltando a receber as pessoas, desde que o protocolo de segurança seja seguido. A Galeria Pierre Verger e o Goethe Institut já estavam abrigando exposições. Agora, é a Galeria Paulo Darzé, na Vitória, que abre suas portas, com a exposição Amilcar de Castro - 100 Anos, em homenagem ao artista plástico mineiro. No site da galeria e no Instagram, é possível ver  o acervo virtualmente. A visitação pessoal precisa ser agendada e o número de visitiantes simultâneos é limitado a cinco.

Chegam a Salvador 45 peças de Amilcar, sendo 25 esculturas em madeira ou aço e 20 pinturas, produzidas entre os anos 1960 e 1990. Todas elas estão à venda e pertencem ao Instituto que leva o nome do artista, que fica em Minas Gerais. “Amilcar de Castro é um dos pioneiros da arte concreta no Brasil, um artista completo, muito premiado. É um prazer muito grande participar desse festejo do cententário de nascimento dele”, diz o galerista Paulo Darzé.

Espaço
Os 280 metros quadrados ocupados pela exposição na galeria são suficientes para que os visitantes mantenham o distanciamento. Além disso, a área é adequada para receber as 45 obras, segundo Darzé: “Dá para abrigar as peças porque as esculturas ficam no chão e as pinturas, na parede. Se fossem só pinturas, seria impossível, porque as obras de Amilcar são muito ‘limpas' e precisam de uma leitura solitária”.

Para selecionar as obras, Darzé foi até a sede do Instituto, onde teve o auxílio de Rodrigo de Castro, filho de Amilcar, e também artista plástico. Rodrigo diz que o pai se dividiu entre a pintura e a escultura até o fim da vida: “Ele não tinha preferência por uma ou outra. Dependendo de como acordasse naquele dia, fazia uma ou outra. Em Salvador, estão telas espetaculares, grandes, bonitas e algumas nunca exibidas fora do Instituto”.

A primeira experiência de Amilcar nas artes foi no desenho e, só depois, começou a fazer esculturas, como lembra Rodrigo: “A maneira que ele usava para pensar e desenvolver o pensamento  sempre foi o desenho. Ele sempre desenhava para ver o que ia fazer e, desenhando, deu vontade de experimentar o desenho em forma tridimensional”.

Amilcar começou a estudar desenho com o pintor Guignard (1896-1962), enquanto estudava direito, em Belo Horizonte. Mas, para decepção do pai, que era desembargador, a vocação para as artes acabou prevalecendo. Rua Dr. Chrysippo de Aguiar, 8 - Vitória.

Serviço

Já Aberta Para Visitição, com  agendamento por telefone (3267-0930), em razão da pandemia.

Visitação virtual pelo site paulodarzegaleria.com.br ou no Instagram @paulodarzegaleria.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas