Exposição reúne 23 obras do sacerdote e artista plástico Mestre Didi

entretenimento
18.10.2018, 09:20:00
(Divulgação)

Exposição reúne 23 obras do sacerdote e artista plástico Mestre Didi

Mostra será aberta nesta quinta-feira (18), no Museu de Arte Moderna

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um artista focado em difundir a arte que retrata a cultura de seus ancestrais. Um sacerdote que dedicou sua vida ao culto do candomblé. Mais uma vez essas duas histórias se cruzam e se revelam na exposição Mestre Didi – Ancestralidade e Resistência, que o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) apresenta, a partir de hoje,  na Capela do Solar do Unhão.

A mostra reúne 23 obras que têm como ponto de partida os Orixás do Panteão da Terra: Obaluaiyê, Nanã Buruku, Oxumaré e Ossain.  Dessa série, 21 peças integram as coleções dos galeristas baianos Paulo Darzé e Antônio Almeida, e duas datadas de 1994 e 1995, do acervo do MAM, que possui ainda uma obra, em tamanho gigante, no Parque das Esculturas, que foi recentemente restaurada.

(Foto: Divulgação)

Esta não é a primeira vez que o museu se associa a colecionadores para exibir seus acervos ao grande público. “As duas galerias, tanto a Paulo Darzé (BA) quanto  a Almeida & Dale (SP), pertencem a dois baianos que entendem que a arte deve circular e ser vista pelo grande público, daí termos firmado essa parceria para homenagear este artista tão importante para a história da Bahia e do Brasil”, explica Zivé Giudice, diretor do MAM.

A exposição, que segue em cartaz até o próximo mês, integra a programação do museu para o Novembro Negro. Com curadoria de Thaís Darzé, a mostra apresenta um recorte da cultura brasileira nas suas matrizes, e as revela enquanto realidade transfigurada dos objetos ritualísticos de seu culto para uma linguagem contemporânea e universal.

“Mostrar as esculturas de Mestre Didi, mesmo através de um recorte de sua obra em qualquer tempo, proporciona nos defrontarmos com a nossa história, seja esta de vida ou da arte, e de uma identidade que nos faz como nação”, diz a curadora.

Embora esta não seja uma mostra de grandes proporções, tendo em vista a força e a riqueza da obra de Mestre Didi, visitar uma exposição desse importante artista baiano - que ficou conhecido como Escultor do Sagrado, e que tem obras espalhadas pelo mundo inteiro - mesmo através de um recorte de qualquer tempo, eleva a nossa alma e o nosso espírito, ao tempo em que nos coloca diante da nossa história.

Mais que isso, exposições que trazem à luz coleções particulares que são vistas apenas por poucos privilegiados nos dão a oportunidade de ampliar o nosso olhar e o nosso conhecimento sobre esses artistas. Capela do Museu de Arte Moderna da bahia (Solar do Unhão, Avenida Contorno). 

Serviço
Exposição: Mestre Didi - Ancestralidade e resistência
Abertura: 18 de Outubro, 19h
Visitação: terça a domingo, 13h-18h
Local: Capela do Museu de Arte Moderna da Bahia
Entrada gratuita

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas