'Faltou experiência de Copa', avalia Parreira

esportes
12.07.2018, 13:48:00
Atualizado: 12.07.2018, 16:48:39
Parreira fala sobre falta de experiência do Brasil na Copa da Rússia (AFP)

'Faltou experiência de Copa', avalia Parreira

Técnico do tetra diz que o Brasil não soube trabalhar os detalhes do torneio

A falta de experiência foi a principal causa para a eliminação da seleção brasileira nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. Essa é a opinião de Carlos Alberto Parreira, técnico que conquistou o tetracampeonato mundial com o Brasil em 1994. Hoje integrante do grupo de estudos técnicos da Fifa (TSG, na siga em inglês), o ex-treinador disse que o Brasil não soube trabalhar os detalhes do torneio. 

"Faltou experiência de Copa. Tínhamos bons jogadores, mas poucos com Copa. O estafe técnico também. O Brasil poderia ter ido mais longe na Copa. Fomos melhores no segundo tempo, controlamos o jogo, tivemos chance de marcar. Mas a Copa é muito decidida no detalhe. Mas continuamos sonhando em ganhar no Catar. Estamos sempre buscando ganhar a Copa do Mundo. É como uma religião para nós", afirmou Parreira durante entrevista coletiva. 

Na opinião dele, ter uma seleção talentosa não é suficiente para colocar a mão na taça do Mundial. Será preciso ter mais vontade e organização.  

"Não é só saber que há um problema, mas como resolver. Vamos para 20 anos sem título. Não é fácil ser um campeão do mundo. Não precisa ser só talentoso, senão ganharia todas as Copas. Precisa ter fome, ter paixão, ter organização. É muito diferente quando isso tudo está lá, quando há organização e talento, vamos ganhar. Quando falta algo, falhamos. Em 2006 não tínhamos a mesma fome, porque ganhamos em 2002. Os melhores jogadores não foram em sua melhor forma", disse o ex-técnico, que comandou a Seleção também naquele ano em que o Brasil acabou derrotado também nas quartas de final, para a França.

Parreira defende a manutenção de Tite no comando da seleção brasileira. "Vamos dar continuidade ao trabalho do Tite. Quero que ele continue. É o melhor caminho para o hexa. Nós precisamos dos dois, do Neymar e do Tite", afirmou.