Federer bate Tsitsipas na final em Dubai e chega ao 100º título

esportes
02.03.2019, 16:54:00
Atualizado: 02.03.2019, 16:55:00
Roger Federer celebra 100 títulos na carreira (Karim Sahib / AFP)

Federer bate Tsitsipas na final em Dubai e chega ao 100º título

Tenista suíço é o segundo homem a alcançar a marca

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Roger Federer voltou a fazer história neste sábado (2). O suíço alcançou o 100º título da carreira ao levantar o troféu do Torneio de Dubai pela oitava vez. Na final da competição disputada nos Emirados Árabes Unidos, o tenista de 37 anos superou o grego Stefanos Tsitsipas pelo placar de 2 sets a 0, com duplo 6/4, em 1h09min de duelo.

A vitória ampliou a lista de marcas expressivas e recordes no currículo do suíço. Federer se tornou o segundo homem da história a alcançar os 100 títulos em simples. Acima dele está somente o norte-americano Jimmy Connors, dono de 109 troféus - se aposentou em 1996. Ainda no masculino, mas nas duplas, os irmãos Bob e Mike Bryan também já superaram a barreira dos 100 troféus, com 117 e 122, respectivamente.

No geral, Federer se tornou o quinto tenista a alcançar tal marca. Antes dele, três mulheres fizeram história com currículos ainda mais recheados: a checa Martina Navratilova atingiu o surpreendente número de 167 troféus, a norte-americana Chris Evert somou 154 e a alemã Steffi Graf obteve 107 títulos. 

Na contabilidade de Federer, que começou em 2001, há apenas os títulos de nível ATP e também os Grand Slams. Não estão nesta lista os três troféus da Copa Hopman (reconhecida pela Federação Internacional de Tênis), um da Copa Davis e a medalha de ouro conquistada nas duplas nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008.

O triunfo deste sábado teve sabor de vingança para Federer. Ao faturar o seu primeiro título do ano sobre Tsitsipas, o ex-número 1 do mundo devolveu a inesperada derrota para o grego nas oitavas de final do Aberto da Austrália, em janeiro. 

Longe de repetir as oscilações daquela partida, o suíço dominou o atual 11º do ranking com facilidade. Com aproveitamento de até 83% dos pontos quando jogou com o seu primeiro serviço, o favorito não perdeu o saque ao longo da partida e só precisou salvar dois break points. Ao mesmo tempo, faturou duas quebras, uma em cada set. 

"Estou feliz por ainda estar jogando", disse o tenista de 37 anos, com o troféus nas mãos. "Foi um caminho muito longo até aqui, muitas dificuldades, muitos sacrifícios. Eu não teria feito nada diferente", comentou.

O título em Dubai fará Federer deixar o sétimo lugar do ranking e ocupar o quarto posto na lista da ATP a ser atualizada na segunda-feira. Tsitsipas, de apenas 20 anos, entrará no Top 10 pela primeira vez na carreira, ao figurar justamente na 10ª colocação. 

A celebração do 100º troféu contou com apresentações artísticas e até um coral de crianças e adolescentes em quadra, logo após o ponto final do jogo. Nos discursos da cerimônia, os organizadores afirmaram que o suíço tem contrato para jogar em Dubai em 2020, o que indica que Federer deve jogar ao menos mais uma temporada, o que lhe dará tempo para tentar alcançar o recorde de títulos de Connors. 

 "Amo cada minuto da minha carreira, ganhar 100 troféus é um sonho que se tornou realidade", disse o campeão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas