Feira de Santana: vereador denuncia suposto esquema na Saúde; prefeitura nega desvio

bahia
15.09.2021, 22:13:00
Atualizado: 15.09.2021, 22:16:56
Secretário municipal de Saúde, Marcelo Britto foi acusado de desvios pelo presidente da Câmara de Vereadores (Jorge Magalhães/PMFS)

Feira de Santana: vereador denuncia suposto esquema na Saúde; prefeitura nega desvio

Gestão municipal chama de "irresponsável" a acusação feita pelo presidente da Câmara contra o secretário de saúde do município e diz não temer ameaças

O vereador Fernando Torres (PSD), presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, apresentou uma denúncia, nesta quarta-feira (15), de um suposto desvio de verba praticado pelo secretário de saúde do município, Marcelo Britto.

Segundo a acusação, Britto seria dono de uma empresa que prestou serviços para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro de Queimadinha, e que estaria realizando os desvios. Isso teria acontecido antes dele assumir a pasta de saúde.

“Nós recebemos uma denúncia de que o secretário de saúde tem uma empresa chamada GSM e que ela prestou serviço a uma UPA daqui de um bairro de Feira. E o serviço que prestou, no meu modo de ver, [foi] superfaturado. A empresa pertence ao secretário de saúde e, antes dele ser secretário, ele fez essa prestação de serviço. Logo após ele virou secretário”, disse Torres, em entrevista ao CORREIO.

De acordo com o vereador, o caso se tratou de uma consultoria que valia R$ 30 mil, mas foi cobrado R$ 400 mil. 

“Nós denunciamos à Polícia Federal e, amanhã, vamos denunciar no Ministério Público Federal e no Ministério Público do Estado”, afirmou.

Ele diz que a UPA de Queimadinha tem uma despesa mensal de R$ 1 milhão, e que não acha que deveria ser gasto quase metade disso em consultoria, reforçando o superfaturamento.

Em nota, a Prefeitura de Feira de Santana considerou “irresponsável” a suposta denúncia. O Governo Municipal ainda informou que solicita ao Poder Legislativo a marcação da data para que o secretário de Saúde compareça à Câmara para ser sabatinado pelos vereadores, conforme a convocação feita pela Casa.

“A minha ida à Câmara será uma oportunidade fantástica para que eu possa prestar todos os esclarecimentos que os senhores vereadores julguem necessários. De antemão, devo esclarecer que, desde que assumi a secretaria, nenhuma empresa minha teve ou tem negócios com a Prefeitura”, afirma Marcelo Britto.

“O Governo Municipal não teme qualquer tipo de ameaça, feita pelo presidente Fernando Torres, de solicitar apurações ao Ministério Público e à Polícia Federal. Muito pelo contrário, considera que é importante o envolvimento de órgãos tão sérios, para que a suposta denúncia seja devidamente desmoralizada pelo MP e pela PF”, informa a Prefeitura, em documento.     
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas