Feridos em explosão de botijão de gás compravam cachorro-quente na hora do acidente

salvador
28.06.2017, 10:15:00
Atualizado: 28.06.2017, 12:01:31

Feridos em explosão de botijão de gás compravam cachorro-quente na hora do acidente

Leonardo Alves de Souza, 54, acompanhado do neto de apenas 1 ano, tinha ido comprar o lanche

Dois dos feridos em uma explosão de um botijão de gás no Largo de Roma, na tarde desta quarta-feira (27) eram clientes da barraca. Leonardo Alves de Souza, 54, acompanhado do neto, um bebê de 1 ano, tinha ido comprar o lanche quando aconteceu a explosão, segundo familiares de Dea Maria Barbosa Portugal, dona da barraca de lanches, que também ficou ferida.

A família ainda não sabe o que provocou o acidente, mas desconfia que pode ter sido um álcool usado por Dea. “Ela trabalhava sozinha. A gente ainda não sabe o que aconteceu. Hoje fiquei sabendo que podia ser o álcool que ela usava na hora de esquentar o cachorro-quente”, contou uma sobrinha. 

A explosão aconteceu no Largo de Roma na tarde desta terça
(Foto: Marina Silva/ Arquivo CORREIO)

Leonardo e o bebê já receberam alta do hospital. Dea continua internada no Hospital Geral do Estado (HGE), mas está consciente. Ela teve queimaduras na cabeça, peito, tórax, costa, e nas duas coxas, e não tem previsão de alta, segundo familiares.

As três vítimas moram no Subúrbio de Salvador: a mulher é moradora do Alto da Terezinha, Leonardo reside em Paripe e a criança vive em Fazenda Coutos I. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas