Festa na Barra celebra vitória de atletas da Maratona de Salvador

esportes
22.10.2017, 10:36:53
Atualizado: 22.10.2017, 15:24:07

Festa na Barra celebra vitória de atletas da Maratona de Salvador

Alavontê e FitDance fizeram show para aliviar o cansaço dos corredores

Após concluírem o trajeto da Maratona Cidade de Salvador, participantes da prova se aglomeraram em frente ao Farol da Barra para acompanhar os shows. A primeira atração foi o grupo Fit Dance. Em seguida, a banda Alavontê animou o público do evento.

Foto: Luan Santos/CORREIO

O mecânico Joel Tenório, 52 anos, concluiu os 42 quilômetros da maratona em três horas e 40 minutos e aproveita o clima festivo para aliviar a cansaço. "Realmente foi uma prova de superação. O tempo estava bem quente, foi um desafio", afirmou. Ele conta que já correu outras maratonas e disse que o trajeto é um ponto a ser melhorado para a próxima edição do evento na capital. "Tivemos que dar duas voltas. Você chega ao farol e retorna para depois voltar de novo. Poderia ser uma única volta. Isso  afeta o psicólogo".

A terapeuta ocupacional Manoela Guedes, 41, correu cinco quilômetros em 35 minutos. Para ela, a maratona foi positiva por atrair as pessoas para as ruas. "Não apenas atletas vieram, mas todas pessoas estão aqui. Qualquer ação que traga as pessoas às ruas é muito positivo", diz. Para ela, a festa pós-corrida é "maravilhosa. Afinal, tudo sempre termina em festa por aqui", brinca.

O administrador César Silva, 35, não correu por estar com uma contusão no joelho, mas foi prestigiar o evento. "Meus amigos, irmãos, correram. Vim dar apoio moral e também curtir a festa", conta.

Ruas ocupadas

O cantor Ricardo Chaves, do Alavontê, acredita que as pessoas estão voltando a ocupar as  ruas de Salvador, e a maratona mostrou isso. "Salvador é uma cidade que cada vez mais  tem se revelado novamente uma cidade em que as ruas estão sendo ocupadas por  eventos, sejam eles esportivos, artísticos, culturais. Aqui é um esportivo encerrado com  um evento musical", diz.

Ele conta que o Alavontê tem participado desse movimento. "O  Alavontê tem tido uma história de propor coisas na rua, foi assim com o Furdunço, na  volta do Dique e agora com esse convite para encerrar aqui", afirma. "Eu acho legal essa  volta para a rua. revela esse momento em que o soteropolitano está ocupando os espaços  novamente e de certa forma quando as pessoas vêm pra rua de certa maneira a cidadania  passa a ser exercida", complementa.

Para o artista baiano, quando mais as pessoas estiverem nas ruas  ocupando os espaços, mais politizadas estarão e, assim, valorizando mais a cidade. Ele também considera positiva a realização de evento esportivo como a maratona. "Acho  importante trazer Salvador para o circuito esportivo de rua. É um movimento que já está  acontecendo no Brasil todo", complementa. 

A primeira atração da festa foi o grupo FitDance, que animou o público com coreografias de músicas que estão em alta. O grupo iniciou a apresentação pouco antes do término da maratona e fez a festa para os que já haviam concluído a meia-maratona ou os trajetos menores de 10 e 5 quilômetros. 

Já o Alavontê começou a cantar após a cerimônia do pódio, com a entrega das premiações para os vencedores. O grupo levou um let list com clássicos do Carnaval, como Eva, além Ashansú (Obaluaê), Oba e Vou Ficar Alavontê. O grupo decidiu não utilizar o palco do evento e se apresentou no Pranchão. Após a entrega dos prêmios, os vencedores também foram curtir a apresentação do grupo baiano. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas