Festa pra sambar até o dia clarear; confira roteiro

entretenimento
30.11.2018, 06:20:00
(Marcos Hermes/Divulgação)

Festa pra sambar até o dia clarear; confira roteiro

Salvador recebe uma série de shows para celebrar Dia do Samba, comemorado neste domingo (2)

Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. Mas quem gosta, pode ir se preparando para curtir as comemorações do Dia do Samba, celebrado no domingo.

Em Salvador, a festa começa na véspera, com o grupo Botequim promovendo sua já tradicional roda de samba no Casarão Barabadá (Santo Antônio Além do Carmo). Clássicos do gênero musical, canções autorais e homenagens a grandes mestres sambistas farão do repertório um convite para dançar e suar a camisa.

Também no sábado, no Largo Pedro Archanjo (Pelourinho), o grupo Samba do Pretinho promove mais uma edição do Sábado Black, a partir das 20h. 

(Foto: Mauricio Reis)



É no domingo que Salvador recebe shows de grandes estrelas do gênero. Diogo Nogueira apresenta na Concha Acústica seus maiores sucessos, clássicos do samba e algumas canções de seu último disco Munduê, lançado em maio no TCA.

”Salvador é uma das cidades que mais gosto de me apresentar. O show de lançamento do meu novo trabalho aí foi incrível. Agora estamos voltando a Salvador, e na Concha Acústica, que é um lugar maravilhoso para fazer shows, com a plateia pertinho. Vai ser demais”, derrete-se o cantor, que nutre uma relação de carinho com a cidade onde foi “mordido pelo vírus do palco”.

Era 1998, há 20 anos, também em 2 de dezembro, comemorando o Dia Nacional do Samba, no Pelourinho, que o pai o convidou para que cantasse junto com ele pela primeira vez num palco para um grande público. “Meu pai me chamou de surpresa, do nada, e me colocou para cantar para uma multidão. Depois disso a transição de sair dos gramados [ele sonhava em ser jogador de futebol] para os palco foi natural, até porque esse era o caminho que Deus havia escolhido para mim”, recorda.

Um dos expoentes da nova geração do gênero musical mais representativo do país Diogo não deixa de reverenciar suas maiores influências no repertório do show. Estão lá homenagens a Zeca Pagodinho (Cabô Meu Pai, Uma Prova de Amor e Quando a Gira, Girou), Beth Carvalho (Coisinha do Pai e Caciqueando) e a seu pai João Nogueira, com o clássico Espelho. “Vamos fazer uma grande celebração ao samba e estou preparando um repertório especial“, garante.

Opções gratuitas
Outra grande estrela do samba nacional que faz a festa em Salvador no domingo é Alcione. Ao lado de outros vinte sambistas baianos, incluindo  Nelson Rufino, Walmir Lima, Juliana Ribeiro, Firmino de Itapuã, Gal do Beco, Gerônimo e Edil Pacheco, a Marrom se apresenta gratuitamente na Praça Caramuru (Rio Vermelho), a partir das 16h.

(Foto: Marcos Hermes)

Juntos, eles homenageiam Martinho da Vila, o artista lembrado nessa edição da festa e que completou 80 anos de vida em 2018.
Com direção geral de Edil Pacheco, o evento visa manter viva a memória do nascimento do samba na Bahia, a partir da sua primeira célula rítmica: o samba de roda. Os artistas serão acompanhados pelo grupo Cor do Brasil, que funcionará como banda base, permanecendo o tempo todo no palco. Quem também está confirmado na programação é o grupo Bambas de Sampa.   

A expectativa da organização é de reunir cerca de 20 mil pessoas no Rio Vermelho, ao longo de mais de seis horas de música.
Outra atração imperdível no Dia do Samba em Salvador é a tradicional caminhada no Centro de Salvador. A partir das 13h, nove trios elétricos dos blocos que integram a União das Entidades de Samba da Bahia (Unesamba) saem do Campo Grande em direção à Praça Castro Alves, com as melhores atrações do gênero que irão embalar o Carnaval 2018 das agremiações.
“Nossa proposta é promover e fortalecer o movimento do samba na Bahia e levar alegria para a população que espera pelo evento”, comenta o diretor do bloco Proibido Proibir, Luiz Cláudio. 

Desfilam ainda na Caminhada do Samba, onde são esperadas 100 mil pessoas, os blocos Alvorada, Alerta Geral, Pagode total, Reduto do Samba, Vem sambar, Amor e Paixão, Samba popular e Q felicidade.

FESTA DO SAMBA

Grupo Botequim Casarão Barabadá (Santo Antônio) sábado, às 19h. Ingressos: R$ 15.

Samba do Pretinho Largo Pedro Archanjo (Pelourinho), sábado, às 20h. Ingressos: R$ 10.

Diogo Nogueira  Concha Acústica (Campo Grande), domingo, às 19h. Ingressos: R$ 80 | R$ 40 (plateia); R$ 160 | R$ 80 (camarote). Vendas na bilheteria do TCA, SACs dos shoppings Barra e Bela Vista e ingressorapido.com 

Alcione Praça Caramuru (Rio Vermelho), domingo, às 16h. Gratuito.

Caminhada do Samba Campo Grande, domingo, às 13h.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas