Festas literárias virtuais e gratuitas apostam na leitura para mudar o mundo

entretenimento
24.03.2021, 05:30:00
Goya Lopes, Ailton Krenak, Itamar Vieira Júnior, Nélida Piñon e Jean Wyllys são convidados das festas VivaLivro e Felica

Festas literárias virtuais e gratuitas apostam na leitura para mudar o mundo

Programação tem Itamar Vieira Junior, Ailton Krenak, Ruy Castro, Nélida Piñon e Jean Wyllys

O livro e a leitura são capazes de transformar o mundo. Se alguém duvida, fica o convite para participar de duas festas literárias virtuais e gratuitas realizadas por duas editoras baianas essa semana: a Festa Literária Internacional VivaLivro, da Solisluna, e a 2ª Festa Literária da Caramurê (Felica). Mais que um objeto, o livro aparece como acolhimento, ferramenta de crescimento, educação e a chave para viver em um mundo melhor.

Tudo isso a partir de mesas temáticas abrangentes e participações ilustres. O escritor ganês Ousman Umar, por exemplo, ex-refugiado que escapou da morte mais de uma vez, é convidado da VivaLivro que acontece de quarta-feira (24) a sábado (27). Além dele, o evento transmitido pelo YouTube (/festavivalivro) reúne nomes como Ailton Krenak, Goya Lopes, Rosane Borges, Bel Santos, Alberto Acosta e Flaira Ferro.

Já a Felica, que vai de domingo (28) a 4 de abril, no YouTube e Instagram da Caramurê, reúne nomes como Itamar Vieira Junior, Ruy Castro, Nélida Piñon, Tom Zé, Jean Wyllys, Mabel Velloso, Leonardo Boff, Érico Brás, Astrid Fontenelle, Wilson Gomes e Carlinhos Brown. “O livro como instrumento de transformação” é o tema da Felica, enquanto a VivaLivro traz “a literatura como espaço de acolhimento e reflexão sobre a diversidade”.

“A gente está precisando conversar sobre novas maneiras de viver nesse mundo”, justifica a sócia-fundadora da Solisluna, Valéria Pergentino, 55 anos, curadora da VivaLivro com Dolores Prades. Ao contrário do modelo tradicional centrado em um único autor, o foco da festa está na valorização da palavra a partir de diferentes pessoas e pensamentos. “A ideia é fazer um evento que celebre o livro, estimule a leitura”, reforça.

Cidadania
Os dois eventos se aproximam nesse ponto e reforçam uma identidade que tenta se destacar em meio ao boom de festas literárias. Mais que um objeto, o livro é celebrado em sua integralidade, na Felica, aparecendo como sinônimo de conhecimento, ferramenta de compreensão do seu tempo e parte de uma cadeia produtiva que inclui a questão comercial e estética.

“Pensamos o livro como um todo, não só a parte da literatura, mas todo o conteúdo dele, todas as questões”, defende o editor e artista plástico Fernando Oberlaender, 58, criador da Felica. Para ele, não se pode isolar o livro do seu tempo. “A Felica surge trazendo essa proposta de cidadania, de democracia e de colocar o livro como o grande objeto do conhecimento”, defende.

De modo geral, as festas literárias nascem motivadas pelo desejo de movimentar a cena local, destaca o escritor Breno Fernandes, 34, assim como prestigiar e ajudar a divulgar os autores na ativa e aquecer o comércio de livros. “Todos esses são motivos nobres, louváveis e necessários”, opina o autor que assina a curadoria da Felica. Mas, somado a tudo isso, existe outro interesse.

“Promover debates que deem ênfase a um conjunto de temas ligados à proteção dos direitos humanos e ao engajamento com o fim das desigualdades sociais”, explica o escritor. Afinal, a leitura abre portas. “Livros são uma ferramenta poderosa para o campo das ideias e da imaginação. Abrir mão deles é abdicar de um legado da humanidade tão útil quanto a roda”, defende Breno.

Conhecimento
O livro é esse objeto antigo onde está contido o conhecimento, “talvez o objeto mais antigo da humanidade que acompanha o desenvolvimento da civilização ao longo dos tempos”, acrescenta a curadora da VivaLivro. Valéria ressalta que a leitura é alimento e enaltece: “Isso mexe com a gente em algum lugar que possibilita o despertar para uma mudança interior. É quase que mágico. O livro é esse objeto encantador”.

Além de atraente, talvez seja também “a grande saída para esse mundo”, acrescenta o criador da Felica. “A gente acredita nisso piamente. O livro é a grande caixa de conhecimento”, exalta Fernando. E mudar a realidade difícil que o mundo vive hoje passa pela leitura, acrescenta o editor.

“Essa mudança precisa ser feita com seriedade porque é ela que vai determinar o futuro. A gente precisa saber se transformar para viver um mundo melhor e o livro é o melhor caminho de todos para isso”, defende. “É um instrumento gigantesco de mudança, de crescimento, de educação. Acho que essa é a grande porta para um mundo melhor”, convida.

Programação VivaLivro

Quarta-feira (24)

16h | Abertura com Zulu Araújo, Valéria Pergentino e Dolores Prades
16h30 | Conferência ‘Infâncias e Leituras sem Fronteiras’ com Ousman Umar
18h | Pré-Lançamento do livro Migrantes, de Issa Watanabe
19h | Mesa Viver nas Bordas com Délcio Teobaldo, Rosane Borges, José Eduardo Ferreira. Mediação: Dolores Prades

Quinta-feira (25)

10h | Oficina Ilustração: Arte de Contar Histórias com Goya Lopes
16h | Mesa Somos Todos Iguais e Diferentes com Gusti, Tereza Villela, Claudia Mascarenhas. Mediação: Mira Silva
18h | Lançamento do livro Quando Somos um Só, de Alessandro Marimpietri 
19h | Mesa A Escola e a Literatura como Refúgios com Cybele Amado, Sara Barbieri, Bárbara Carine Pinheiro. Mediação: Ana Carolina Carvalho

Sexta-feira (26)

10h | Oficina Ilustração: Arte de Contar Histórias, com Goya Lopes
16h | Mesa Quando a Leitura e a Escrita Acolhem com Issa Watanabe, Sara Bertrand, Neide Almeida. Mediação: Ciça Fittipaldi
18h | Pré-Lançamento do livro Patos e lobos-marinhos, conversas sobre literatura e juventude, de Sara Bertrand
19h | Mesa Comunidades Leitoras Inclusivas e Criativas com Bel Santos Mayer, Ana Paula Carneiro, Maria Isabel Gonçalves. Mediação: Valéria Pergentino 

Sábado (27)

9h30 e 14h | Oficina Qual o Lugar da Literatura Negra em seu Repertório de Leitura? com Neide Almeida 
10h | Contação de histórias com Mira Silva, Mariana Caribé, Emília Nuñez, Helena Nascimento
16h | Mesa Por um Mundo sem Fronteiras, é Possível? com Alberto Acosta e Ailton Krenak. Mediação: Dolores Prades e Valéria Pergentino
18h | Lançamento do Livro Tecelagem - Uma História Ilustrada, de Goya Lopes
19h | Encerramento com Pocket show de Flaira Ferro e resultado do concurso literário Quem eu Sou no Mundo
 
Serviço 1
O quê: Festa Literária Internacional Vivalivro - Literatura Como Acolhimento 
Quando: De Quarta-feira (24) a sábado (27)
Onde: YouTube da VivaLivro (/festavivalivro)
Programação completa: www.festavivalivro.org
Inscrições gratuitas


Serviço 2
O que? 2ª Festa Literária da Caramurê (Felica) 
Quando? De domingo (28) a 04 de abril
Onde: YouTube da TV Caramurê e Instagram da Caramurê (@caramure)
Gratuito

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas