Festival celebra 'a língua portuguesa, nossa pátria', diz António Zambujo

entretenimento
29.03.2019, 05:30:00
Atualizado: 29.03.2019, 07:52:58
A fadista portuguesa Ana Moura, a cantora Daniela Mercury e o português António Zambujo se apresentam no festival

Festival celebra 'a língua portuguesa, nossa pátria', diz António Zambujo

Cantor português é atração do Festival de Língua Portuguesa que reúne, ainda, Ana Moura e Daniela Mercury no Farol da Barra

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No aniversário de Salvador, a grande homenageada da festa é a língua portuguesa. Isso porque a cidade fundada há 470 anos, pelo militar português Tomé de Sousa (1503-1579), vai sediar a estreia mundial do Festival de Língua Portuguesa (Felpo). O evento gratuito reúne artistas do Brasil, de Portugal e Angola, nesta sexta-feira (29) e no sábado (30), no Farol da Barra e no Rio Vermelho, com shows, encontros de gastronomia e literatura.

O fado dos cantores portugueses António Zambujo e Ana Moura, por exemplo, se junta ao semba do cantor angolano Paulo Flores na programação que acontece hoje, a partir das 19h, no Farol da Barra. Ao todo, nove cantores se revezam no palco e, entre os representantes baianos, estão Daniela Mercury, Saulo Fernandes, Magary Lord e Márcia Freire.

Vai ser uma celebração com os músicos todos. Sobretudo celebra-se a língua portuguesa, que é o mais importante, pois é a nossa pátria”, comemora António Zambujo, 43 anos, um dos principais cantores da nova geração de Portugal.

Influenciado pela MPB e autor do recém-lançado disco Do Avesso (Som Livre), Zambujo vai cantar cerca de quatro músicas no festival que também será realizado em Lisboa, entre 12 e 14 de setembro.

CLIQUE AQUI E CONFIRA ESPECIAL 'FELIZ-CIDADE' SOBRE OS 470 ANOS DE SALVADOR 

Aparentemente distintos, os artistas escolhidos para o festival transitam por universos musicais próximos. Zambujo, por exemplo, gravou a obra de Chico Buarque e é fortemente influenciado pela MPB. Paulo Flores, por outro lado, canta o semba angolano que também influencia a música de Magary, flerta com o kuduro - facilmente encontrado no som da BaianaSystem - e com o samba.

“É um show único, com gente do fado, do axé, do semba. É uma oportunidade única ter todas essas figuras, com tanta história, juntas em um só palco”, destaca o curador e organizador do evento, Ricardo Duarte. “A gente espera fazer uma grande festa, uma congregação da língua, onde as pessoas tenham vontade de criar juntas”, completa Duarte, diretor de novos negócios e internacionalização do Global Media Group, um dos maiores de comunicação lusitana, que realiza o Felpo em parceria com a prefeitura de Salvador.

O cantor angolano Paulo Flores mostra repertório de semba (Foto: Divulgação)

Troca
O intercâmbio não é só musical e engloba outros aspectos da cultura. A chef Tereza Paim, por exemplo, recebeu o português Vítor Sobral e o angolano Helt Araújo para um menu degustação dos sabores dos três países e continentes. O encontro chamado Festa dos Sabores aconteceu ontem, no restaurante Casa de Tereza, e marcou o primeiro dia do Felpo.

“Foi muito rico, uma oportunidade única. Eu e os chefs visitantes conversamos sobre a riqueza de poder compartilhar experiências. Conhecia bastante a cozinha de Portugal, mas não conhecia a de Angola. Percebi muitas coincidências”, destacou Tereza Paim, 58. “Os sabores, as formas de cozinhar, os saberes da cozinha angolana têm muito a ver com os saberes da nossa cozinha”, completou a chef.

Quando o assunto é literatura, o intercâmbio acontece amanhã, a partir das 19h, no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. No evento Troca de Livros, o público acompanhrá um bate-papo com três escritores: Paloma Amado e Ricardo Viel, que assinam o livro Com o Mar por Meio (Companhia das Letras), uma troca de correspondência entre o escritor baiano Jorge Amado (1912-2001) e o português José Saramago (1922- 2010). Além deles, o evento também conta com a  participação do escritor e geógrafo baiano Itamar Vieira Júnior, vencedor do Prêmio Leya 2018, criado pela editora homônima sediada em Portugal.

“Essa é a chance da gente fazer uma festa com uma aproximação que, na verdade, já existe. Nesse momento que a gente festeja Salvador, estamos festejando junto com os portugueses que têm uma presença cultural muito ativa aqui”, destaca Paloma Amado, 67, filha de Jorge Amado. “É uma troca sempre bem-vinda, sempre agradável, que conta para os jovens muita coisa que talvez eles não conheçam”, completa a escritora, fazendo o convite.

A escritora Paloma Amado bate um papo e lê trechos do livro que reúne correspondências de seu pai, Jorge Amado, para o escritor José Saramago (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Serviço do Festival de Língua Portuguesa (Felpo)

Dia 29 de março (sexta-feira) – Shows
Local: Farol da Barra
Participantes: Daniela Mercury, António Zambujo, Saulo, Paulo Flores, Ana Moura, Magary Lord, Márcia Freire, Carla Cristina e Márcia Short

Dia 30 de março (sábado) – Troca de Livros
Local: Praça da Mariquita (Rio Vermelho)
Participantes: Itamar Vieira Júnior, Paloma Jorge Amado, Ricardo Viel e Sérgio Rodrigues

Entrada gratuita

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas