Festival Ori terá seis horas de programação dedicado à arte e cultura negra

entretenimento
20.11.2020, 05:50:00
A atriz Ruth de Souza ganha tributo no evento (Foto:divulgação)

Festival Ori terá seis horas de programação dedicado à arte e cultura negra

Realizado pela plataforma Cultne, evento online acontece nesta sexta, com transmissão de várias cidades

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A primeira edição do Festival Ori estreia nesta sexta (20), integrando-se às comemorações do Dia da Consciência Negra. Desenvolvido e realizado pelo Cultne, maior acervo digital de conteúdo negro do país, o evento celebra o presente e o legado do povo negroem mais de seis horas de produção audiovisual.

A programação inédita acontece no formato de revista eletrônica e agregando artistas e personalidades negras das 15 às 21h, em entrevistas, reportagens especiais, humor, música, poesia, história e narrativas negras. As gravações acontecem desde setembro, com locações no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador.

Apresentada por Lica Oliveira, Rafael Mike,  Aza Njeri e Carlos Alberto Medeiros, o festival Ori terá transmissão ao vivo a partir de estúdio montado no Rio. Entre os destaques está o lançamento do clipe com uma canção inédita de  Altay Veloso e Paulo Cesar Feital,  nas vozes de sete  cantoras negras: Marcelle Motta, Fabíola Machado, Amanda Amado, Flávia Santana, Tabatha Aquino, Gil Miranda e Rafaela Soares.

maca
Nelson Maca apresenta o Ori Slam Lonan no evento (Foto: Adeloyá Magnoni/divulgação) 

O evento também abriga o Slam Ori Lonan, competição de poesia falada que será transmitida ao vivo de Salvador, com apresentação do poeta Nelson Maca e participação de poetas de São Paulo, Pernambuco, Rio  e Bahia. E contará com Tributo à Ruth de Souza e entrevistas com o cantor Lazzo Matumbi, com o cineasta Jeferson De e com Vovô do Ilê e João Jorge, que falam sobre  Blocos Afro.

O evento conta com participações internacionais de correspondentes nos Estados Unidos (Isabela Adão), Inglaterra (Cláudia Dandara) e Alemanha  (Ras Adauto), trazendo contribuições da diáspora africana mundial para a revista eletrônica. A maior parte da programação é de material inédito, com breves inserções de pérolas do acervo histórico do Cultne resgatadas para dialogar com as gravações recentes. O festival é realizado pelo Cultne e Olabi, em parceria com Open Society Foundations e Ford Foundation. Confira a programação completa em http://www.cultne.com.br/.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas