França caça namorada de terrorista; casal era ligado a membro do Islã radical francês

mundo
10.01.2015, 09:44:00
Atualizado: 10.01.2015, 09:51:29

França caça namorada de terrorista; casal era ligado a membro do Islã radical francês

Hayat Boumeddiene, 26 anos, namorada de Amedy Coulibaly, 32 anos, apareceu em fotos vestidas com trajes típicos mulçumanos e empunhando armas

O casal de terroristas franceses que participou do assassinato de uma policial, na última quinta-feira, e do sequestro de mais de 15 pessoas está junto há mais de quatro anos e já fizeram visitas a um membro do Islã radical francês Djamel Beghal  na zona rural de Cantal, no centro da França.

Na ocasião, Hayat Boumeddiene, 26 anos, namorada de Amedy Coulibaly, 32 anos, apareceu em fotos vestidas com trajes típicos mulçumanos e empunhando armas. Coulibaly, morto durante o sequestro de ontem, aparece em uma das fotos ao lado de Djamel Beghal, que seria o mentor dele, segundo o jornal francês Le Monde. 

Amedy Coulibaly e Hayat Boumeddiene (Foto: AFP)

Beghal cumpriu dez anos de prisão por terrorismo e seria um dos responsáveis por treinar jovens interessados em integrar a jihad. Segundo as autoridades francesas, Coulibaly e Chérif Kouachi, suspeito de ser um dos atiradores que mataram 12 pessoas no ataque ao jornal Charlie Hebdo, foram vistos juntos em 2010. 

Hayat está sendo procurada pela polícia francesa. De acordo com informações da rede de televisão CNN, ela estaria no supermercado judeu e escapou do cerco da polícia junto com os reféns. Segundo o Le Monde, Boumeddiene não estava presente no sequestro no mercado e seria suspeita de agir apenas na morte da policial. 

Foto de Amedy Coulibaly e Hayat Boumeddiene em treinamento com grupo islâmico na França (Foto: Reprodução/Le Monde)

A polícia francesa já havia emitido um comunicado para a procura tanto de Hayat quanto de Amedy Coulibaly. No comunicado, o casal é descrito como “armado e perigoso”.

De acordo com o FBI, os franceses ainda tentam localizar Hayat e reforçaram o pedido por informações sobre a fugitiva. 

Hayat Boumeddiene, companheira de Amedy Coulibaly, em treinamento com grupo islâmico (Foto: Reprodução/Le Monde)

Amédy Coulibaly já foi condenado a cinco anos de prisão em 2013 por seu envolvimento na tentativa de fuga da prisão de um membro do Grupo Islâmico Armado (GIA), que era condenado à prisão perpétua pelo ataque contra o Museu Train of Orsay em 1995.

Nascido em Juvisy-sur-Orge, no departamento de Essonne, na França, em 27 de fevereiro de 1982, Coulibaly foi o único menino em uma família de 10 filhos. Ele já trabalhou para a Coca-Cola. Em 15 de julho de 2009, ele esteve com o ex-presidente Nicolas Sarkozy, junto com 500 jovens. Coulibaly pediu um emprego ao ex-presidente. 

O histórico criminal dele mostra diversas ocorrências por roubo, inclusive antes de completar 18 anos, ligação com tráfico e até assalto à mão armada a um banco em setembro de 2002. 

O crime mais grave foi em 2010, quando foi preso por portar 240 cartuchos de calibre 7,62mm e fotos tiradas em abril com Djamel Beghal Murat, um islamista radical que foi condenado por um ataque à Embaixada dos EUA, em Paris. Ele foi investigado pelo ataque, mas liberado por falta de provas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas