Gal Costa vai lançar dez singles até janeiro

entretenimento
14.11.2020, 07:00:00
Gal Costa vai regravar dez clássicos de seu repertório (Foto: Julia Rodrigues)

Gal Costa vai lançar dez singles até janeiro

Projeto celebra 75 anos da cantora e traz regravações com cantores de várias gerações

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Gal Costa segue na busca por renovação. A cantora baiana, que completou 75 anos no dia 26 de setembro, iniciou nesta sexta (13) o projeto que marca a data e também seus 55 anos de carreira, fazendo uma revisão de sua trajetória.  Com serviço prestado de sobra à música nacional, Gal poderia nem fazer nada, mas aderiu ao formato single e convidou dez cantores de diferentes gerações para acompanhá-la na releitura de dez canções que marcaram sua história.

Os dois primeiros singles, que já estão disponíveis nas plataformas de streaming, são duetos com Rodrigo Amarante e Zeca Veloso e visitam o primeiro álbum de Gal e Caetano Veloso,  Domingo (1967). Com direção de Marcus Preto, o projeto Gal 75 começa no clima suave daquele álbum, reafirmando a importância de Caetano na carreira de Gal com as doces canções Avarandado (com Amarante) e Nenhuma Dor (com Zeca). Esta última é uma parceria de Caetano com o poeta Torquato Neto (1944-1972).     

zé
Zeca Veloso e Rodrigo Amaranto: releituras  de canções do álbum Domingo, de 1967 (Fotos: divulgação)

Compositor e vocalista da banda Los Hermanos, Amaranto assina a  produção e arranjos de base da faixa e ainda toca instrumentos como violões, baixo, bandolim, percussão. Revigorada, a canção remete, intencionalmente, através da interpretação de Amaranto, a uma regravação de Avarandado feita por João Gilberto em 1973. Em carta para Gal, ele destacou o privilégio de cantar com ela.

“A tua voz, que é pra mim o som de um sorriso, esse mistério sem segredos que é seu jeito de cantar, onda suave que passa leve mas que traz à tona tesouros das nossas profundezas, é um presente inesgotável, uma escola, uma delícia”, escreveu. 

Artista mais novo do projeto, Zeca criou o arranjo de violão e os contracantos de Nenhuma Dor e canta lindamente com Gal os versos melancólicos da canção.  A cantora já tinha gravado uma canção dele em A Pele do Futuro. 

Sempre aos pares, as faixas serão lançadas até o final de janeiro. Depois, serão agrupadas em seu próximo álbum, que será lançado em LP e CD, pela  Biscoito Fino. A previsão é fevereiro. Os outros convidados Criolo, Rubel, Seu Jorge, Silva, Tim Bernardes, Zé Ibarra, António Zambujo e Jorge Drexler.  

Além do recolhimento da pandemia e da “falta de clima” para um álbum de inéditas, a ideia ganhou corpo, segundo Marcus Preto, depois da boa repercussão dos encontros de Gal com com Rubel e Silva, um pouco antes da quarentena começar, nas últimas apresentações do show A Pele do Futuro. O dueto com Rubel em Baby inclusive foi lançado em single digital de julho. Por terem sido produzidas em meio à pandemia, as dez faixas de Gal 75 foram gravadas em seis cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Lisboa, Madri, Los Angeles e Vitória.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas