Goleiro do Santos sofre racismo em partida contra Grêmio: "macaco e preto fedido, dói"

Futebol
29.08.2014, 00:37:00
Atualizado: 29.08.2014, 00:42:27

Goleiro do Santos sofre racismo em partida contra Grêmio: "macaco e preto fedido, dói"

Câmeras da ESPN registraram torcedores imitando macacos nas arquibancadas para provocar Aranha. Uma torcedora foi filmada xingando o goleiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Depois do jogo entre Santos e Grêmio que terminou com triunfo do time paulista nesta quinta-feira (29) pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o goleiro Aranha deixou o gramado irritado por ter sido alvo de manifestações racistas. O camisa 1 disse que ouviu xingamentos como "preto fedido" e que um coro de macacos foi feito na arquibancada.

"Da outra vez que a gente veio jogar, estava passando campanha contra o racismo no telão, não é por acaso. Eu estava no gol, xingar, pegar no pé, normal. Chamaram-me de preto fedido, cambada de preto. Começou aquele corinho de macaco. Eu pedi para o cinegrafista filmar, mas já tinham feito. Eu fico p..., desculpe o palavrão. Dói, dói. Quando me chamaram de preto, eu disso que sou preto sim, sou negão sim. Sempre tem alguns racistas aqui no meio. Está dado o recado para ficar esperto para a próxima partida. Hoje tem leis, mas no futebol o torcedor usa de várias maneiras de desestabilizar os jogadores", afirmou Aranha.

Câmeras da ESPN registraram torcedores imitando macacos nas arquibancadas para provocar Aranha. Uma torcedora foi filmada xingando o goleiro.

Depois das manifestações, torcedores de too o país, que usaram a hashtag #FechadoComOAranha em redes sociais. O episódio, no entanto, não foi citado pelo juiz da partida na súmula do jogo.

(Foto: Estadão Conteúdo)

Mais racismo
Não é o primeiro caso de racismo atribuído à torcida do Grêmio este ano. O zagueiro Paulão, do Internacional, acusou um torcedor gremista de racismo depois do Gre-Nal pelo Campeonato Gaúcho no primeiro semestre deste ano. Ele deixava o gramado quando ouviu gritos de macaco e aplaudiu ironicamente os torcedores.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas