Guia da Copa América: o que você precisa saber sobre o torneio

esportes
12.06.2021, 05:05:00
O troféu da Copa América (Lucas Figueiredo/CBF)

Guia da Copa América: o que você precisa saber sobre o torneio

Veja a tabela, participantes, sedes, convocados da Seleção Brasileira e outros detalhes da competição

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Copa América vai começar. Depois de muitas mudanças, incluindo a conturbada transferência da competição para o Brasil, chega a hora das 10 seleções participantes entrarem em campo para brigar pelo título continental. Os jogos serão disputados a partir deste domingo (13), e a grande final está marcada para o dia 10 de julho, no Maracanã.

O Brasil será o responsável pela a abertura, às 18h, contra a Venezuela, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. A seleção canarinho, aliás, é a atual campeã: venceu a edição de 2019, também sediada no país.

Para entrar no clima, o CORREIO preparou um especial completo para deixar você por dentro do campeonato. Veja abaixo quais as equipes participantes, as sedes, a tabela completa, a lista de convocados do Brasil e onde assistir. Relembre ainda o último título nacional e confira todas as alterações que a edição passou.

Quem está na Copa América?

Serão 10 seleções participantes. Inicialmente, a competição seria disputada por 12 equipes, mas os dois convidados, Catar e Austrália, desistiram por conta da pandemia da covid-19. Desta forma, integram o torneio: Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

As seleções estão divididas em dois grupos. Na chave A, aparecem Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela, enquanto na B estão Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. As seleções se enfrentam dentro de seus grupos, e as quatro melhores avançam para as quartas de final. A partir dessa etapa, aliás, os jogos são no sistema de mata-mata.

Quais são as sedes? Qual a tabela de jogos?

A Copa América será realizada em quatro cidades brasileiras: Rio de Janeiro, Cuiabá, Goiânia e Brasília. No primeiro local, dois estádios foram escolhidos.

O Maracanã receberá apenas a final, enquanto o Nilton Santos, também conhecido como Engenhão, sediará sete jogos, sendo cinco da fase de grupos, um das quartas de final e uma semifinal. O Maraca, aliás, foi palco do título da Copa América 2019, conquistada pelo Brasil sobre o Peru.

Brasil foi o campeão da Copa América 2019, que teve final disputada no Maracanã
(Lucas Figueiredo/CBF)

O estádio Mané Garrincha, em Brasília, terá oito duelos. Entre eles, a abertura da competição, entre Brasil e Venezuela. Também receberá confrontos pelas quartas de final, semifinal e a decisão do terceiro lugar. 

A Arena Pantanal, em Cuiabá, vai ter cinco jogos da primeira fase. E o estádio Olímpico, em Goiânia, sediará sete jogos, cinco da primeira fase e dois das quartas de final.

Veja a tabela completa:

*tabelas com horários de Brasília

Quem são os jogadores convocados pelo Brasil?

O técnico Tite manteve a base da equipe que venceu as últimas duas partidas pelas Eliminatórias, contra Equador e Paraguai. Há apenas uma mudança: a saída de Rodrigo Caio. O zagueiro do Flamengo havia sido convocado para os dois jogos após a lesão de Thiago Silva. Mas o defensor do Chelsea já está em fase final de recuperação e apto para disputar a Copa América.

Tite, aliás, podia levar até 28 jogadores, mas optou por 24. São eles:

  • Goleiros: Alisson (Liverpool), Éderson (Manchester City) e Weverton (Palmeiras);
  • Laterais: Émerson Royal (Barcelona), Danilo (Juventus), Alex Sandro (Juventus) e Renan Lodi (Atlético de Madrid);
  • Zagueiros: Éder Militão (Real Madrid), Felipe (Atlético de Madrid), Marquinhos (PSG) e Thiago Silva (Chelsea).
  • Meias: Casemiro (Real Madrid), Douglas Luiz (Aston Villa), Everton Ribeiro (Flamengo), Fabinho (Liverpool), Fred (Manchester United) e Lucas Paquetá (Lyon);
  • Atacantes: Everton Cebolinha (Benfica), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Barbosa (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City), Neymar (PSG), Richarlison (Everton) e Vini Jr (Real Madrid).

Onde assistir?

A Copa América terá transmissão do SBT, na TV aberta. A emissora tem o direito de exibir 11 partidas: o jogo de abertura e todos os confrontos da Seleção Brasileira na primeira fase e no mata-mata. Caso o Brasil seja eliminado até as quartas de final, a emissora transmite as semifinais e a final.

Na TV fechada, a competição será transmitida pelos canais esportivos da Disney, ESPN e Fox Sports.

100% em casa

A Seleção Brasileira sediou a Copa América outras cinco vezes e foi campeã em todas: 1919, 1922, 1949, 1989 e 2019. Também faturou as edições de 1997, no Uruguai; 1999, no Paraguai; 2004, no Peru; e 2007, na Venezuela. São nove títulos no total, sendo seis conquistas nas últimas 13 edições. 

Brasil foi campeão em todas as vezes que a Copa América foi sediada no país
(Lucas Figueiredo/CBF)

Dessa forma, o Brasil é o terceiro maior vencedor do torneio. O Uruguai aparece no topo, com 15 taças, seguido pela Argentina, com 14. Os hermanos, porém, não são campeões desde 1993, enquanto a Celeste levantou o troféu pela última vez em 2011.

Como foi o último título brasileiro?

O Brasil entra na Copa América com o status de atual campeão. A Seleção foi a campeã da última edição, disputada em 2019, também no país. O título veio com vitória por 3x1 sobre o Peru no Maracanã, coroando uma campanha invicta. Foram quatro vitórias e três empates até a taça.

A caminhada, aliás, teve o desfalque de Neymar. O atacante foi cortado da Seleção Brasileira poucos dias antes do início da Copa América, após exames apontarem rompimento no ligamento do tornozelo direito sofrido em um amistoso.

Pela fase de grupos, o Brasil estreou ganhando da Bolívia, por 3x0, no Morumbi. Em seguida, a equipe canarinho veio para Salvador, para duelar com a Venezuela na Fonte Nova. Mas o jogo terminou no 0x0. O time fechou a chave com goleada sobre o Peru, na Arena Corinthians, por 5x0.

Quando a classificação para o mata-mata já estava consolidada, veio mais um problema: o atacante Richarlison foi afastado após contrair caxumba. Ele teve que ficar em repouso e isolado dos demais companheiros.

Pelas quartas de final, a Seleção Brasileira encarou o Paraguai na Arena do Grêmio e mostrou dificuldades. Sem conseguir furar a retranca rival, a equipe viu a decisão da vaga ir para a disputa de pênaltis. Alisson pegou cobrança de Gustavo Gómez, enquanto Derlis González mandou para fora. Pelo lado canarinho, Firmino errou. No fim, Gabriel Jesus converteu e garantiu a classificação do Brasil.

Alisson pegou cobrança de pênalti contra o Paraguai
(Lucas Figueiredo/CBF)

Pela semi, encontro com uma velha conhecida: a Argentina. Gabriel Jesus e Firmino marcaram, a Seleção ganhou por 2x0 no Mineirão e avançou à decisão.

Na final, o Brasil enfrentou novamente o Peru, que havia goleado na primeira fase. Everton Cebolinha abriu o placar, Guerrero, de pênalti, deixou tudo igual e Gabriel Jesus desempatou, no fim do primeiro tempo. No entanto, aos 24 minutos do segundo tempo, em uma disputa no alto com Zambrano, o camisa 9 levou o segundo amarelo e foi expulso.

Mesmo com um jogador a menos, a equipe canarinha conseguiu se segurar. No fim, Cebolinha foi derrubado na área e o árbitro marcou o pênalti. Richarlison, em sua redenção após sofrer com a caxumba, mostrou confiança e fez o gol do título: 3x1.

Jogadores do Brasil comemorando o título da Copa América 2019
(Lucas Figueiredo/CBF)

Quais foram as mudanças até aqui?

Os planos para a Copa América sofreram muitas mudanças até chegar ao Brasil. Quando foi anunciada pela Conmebol, em 2019, a edição seguinte da competição aconteceria em 2020. Além disso, estava programada para ser realizada em dois países-sede: Argentina e Colômbia. Seria a primeira vez que dois locais dividiriam partidas do torneio. 

Pelo plano inicial, o primeiro país receberia as partidas do Grupo Sul (Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai e um convidado), enquanto o segundo seria a sede para o Grupo Norte (Colômbia, Brasil, Equador, Peru e Venezuela e outro convidado). A Argentina ficaria com a abertura, no dia 12 de junho de 2020, e a Colômbia, com a final.

Depois da edição de 2020, o campeonato passaria a ser disputado a cada quatro anos, nos anos pares entre as Copas do Mundo (2020, 2024, 2028...), sempre em paralelo com a Eurocopa. O plano era que o formato com duas sedes também fosse mantido nas edições seguintes.

Em março do ano passado, veio a primeira mudança. Por causa da pandemia do coronavírus, a Copa América era adiada para 2021. A decisão foi tomada pelo Conselho da Conmebol em conjunto com a Uefa, que também havia postergado a Euro. Até então, os grupos, sedes e formato da competição estavam mantidos.

A segunda mudança foi em fevereiro de 2021. Austrália e Catar, que disputariam a Copa América como convidados, informaram à Conmebol que não iriam mais participar da competição, por causa das restrições de viagem e do apertado calendário do futebol internacional.

O terceiro baque veio no dia 20 de maio. A Colômbia deixava oficialmente de ser sede a menos de um mês do início do campeonato. O país vivia protestos contra a reforma tributária proposta pelo presidente Iván Duque. Após um mês conturbado, foram registrados ao menos 40 mortos nos confrontos entre a polícia e os manifestantes.

O Governo da Colômbia chegou a pedir à Conmebol o adiamento da Copa América. Mas a entidade sul-americana recusou e anunciou que a Argentina assumiria todo o torneio.

Eis que, dez dias depois, foi a vez da outra anfitriã também sair dos planos. Na noite do dia 30 de maio, a Conmebol anunciava que a competição não seria mais realizada na Argentina, diante da intensificação da pandemia da covid-19. 

Em uma reviravolta, a Conmebol decidiu sediar a Copa América no Brasil, após reunião emergencial no dia 31 de maio. A favor do país, estava a experiência de ter realizado o torneio em 2019, além da Copa do Mundo de 2014. A escolha teve o apoio do presidente Jair Bolsonaro, mas foi criticada por especialistas em saúde pública por causa da pandemia do coronavírus.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048