Guilherme Costa fica em oitavo na final dos 800m livre na natação

esportes
28.07.2021, 23:14:00
Atualizado: 28.07.2021, 23:15:01
Cachorrão fechou os 800 metros livre na última posição (Jonne Roriz/COB)

Guilherme Costa fica em oitavo na final dos 800m livre na natação

Cachorrão ficou mais de 11 segundos atrás do campeão, o americano Robert Finke

O nadador Guilherme Costa terminou na oitava e última posição a final dos 800 metros livre nos Jogos Olímpicos de Tóquio, nesta quarta-feira (28), com o tempo de 7min53s31. O campeão olímpico foi o norte-americano Robert Finke (7min41s87), seguido do italiano Gregorio Paltrinieri (7min42s11) e do ucraniano Mykhailo Romanchuk (7min42s33).

A natação brasileira continua com apenas um pódio nesta Olimpíada, conquistado por Fernando Scheffer, bronze nos 200m livre.

Guilherme Costa, também conhecido como Cachorrão, havia se classificado para a decisão com o quinto melhor tempo geral (7min46s09), quando estabeleceu o novo recorde sul-americano da prova. Nesta quarta-feira, no entanto, ele nadou quase sete segundos mais devagar. Começou a prova em um ritmo forte, fez a primeira virada na segunda posição, mas depois caiu para a oitava colocação e não conseguiu mais se recuperar.

Na prova dos 400 metros, sua distância preferida, ele já havia tido uma estreia frustrante em Tóquio. Guilherme Costa falhou na classificação e acabou ficando de fora da briga por medalhas.

Aos 22 anos, ele é um dos talentos da nova geração da natação brasileira e busca abrir caminho em provas de longa distância, já que o Brasil tem mais tradição em disputas de velocidade. Cachorrão, atualmente, é recordista sul-americano dos 1.500m, 800m e 400m livre.

Ele volta à piscina do Centro Aquático de Tóquio nesta sexta-feira (30), às 8h34 (horário de Brasília), para disputar os 1.500m livre.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas