Homem que matou filha da ex com 60 facadas para se vingar é condenado

em alta
01.03.2021, 18:02:00
(Foto: Reprodução)

Homem que matou filha da ex com 60 facadas para se vingar é condenado

Brenda Carvalho, 14 anos, foi brutalmente assassinada por Jéferson Peres, que teve sentença de 52 anos por feminicídio

Autor do assassinato da estudante Brenda da Rocha Carvalho, de apenas 14 anos, em Passo das Torres (SC), em 2019, Jéferson de Quadro Peres, réu por feminicídio, foi condenado pelo Tribunal de Júri da Comarca de Santa Rosa do Sul, em Santa Catarina, a 52 anos, quatro meses e nove dias de reclusão. As informações são do UOL.

Para se vingar da ex-namorada após o fim do relacionamento, o homem resolveu tirar a vida da filha adolescente dela. O réu matou a vítima com 60 facadas, deformando o corpo da adolescente, segundo denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC). O caso ganhou repercussão pela brutalidade do crime.

A publicação da sentença aconteceu na sexta-feira (26), um dia após o julgamento, ocorrido na Câmara Municipal de Santa Rosa do Sul. A Justiça decidiu levar a apreciação para o prédio do legislativo por eventuais aglomerações da população em frente ao fórum.

A família acompanhou de perto o Tribunal do Júri. Os parentes da adolescente estenderam faixas e estiveram presentes no prédio vestidos com camisas estampadas com o rosto da vítima.

"Uma pequena parte da dor é amenizada. Ele não explicou quase nada na hora do julgamento, dizendo que não lembrava, apenas confessando ser o autor. Estamos um pouco aliviados, só que temos a consciência de que não irá cumprir toda a pena se tiver um bom comportamento", disse ao UOL o irmão mais velho de Brenda, Allan Rocha Oliveira, 20.

De acordo com o parente, mesmo quase dois anos após o crime, a família ainda tenta se recuperar do drama que a perda de Brenda causou dentro de casa.

"Minha mãe ainda toma medicamentos antidepressivos. Chegou a diminuir um pouco a quantidade e retomar o trabalho, voltando um pouco com a vida ao normal. Meu irmão pequeno, de 3 anos, que ficava direto com ela, ainda chama pela Brenda. Isso é de cortar o coração", lamentou.

A defesa de Jéferson ainda não recorreu da sentença, mas adiantou que irá buscar a diminuição da pena imposta pela Justiça.

"A gente vai recorrer da pena. Era impossível não haver a condenação neste caso, mas acreditamos que existiu uma majoração da sentença. Tanto o júri quanto a promotoria tentaram fazer este caso como um diviso de águas na sociedade, contudo, não funciona assim", afirmou o advogado César Paganini Teixeira.

O crime
Brenda foi encontrada morta em 14 de setembro de 2019 em uma plantação de eucaliptos, em Passo de Torres, a 262 km de Florianópolis. A localização do corpo estava a 70 km da casa onde a vítima morava com a mãe e os irmãos, em Maracajá (SC). Ela saiu de casa por volta das 18h do dia anterior e não retornou mais.

Natural do Rio Grande do Sul, a vítima levava uma vida tranquila. Brenda cursava o sétimo ano do ensino fundamental, gostava de ouvir músicas pela TV e aguardava ansiosa pelo seu aniversário de 15 anos, no dia 17 de fevereiro de 2020. A festa estava já toda paga.

Ela virou alvo do ex-namorado da mãe após o fim do relacionamento do casal. Segundo o MP-SC, as investigações concluíram que Jéferson praticou o feminicídio para se vingar da ex, que teria iniciado outro caso amoroso. O IGP (Instituto Geral de Perícias) chegou a informar que o laudo apontou 40 facadas na vítima, mas a apuração apontou mais de 60 golpes, causando a deformação do corpo.

Jéferson chegou a participar do velório e foi preso em 17 de setembro em um hospital de Torres, no Rio Grande do Sul, recebendo atendimento médico após uma tentativa de suicídio. A denúncia do MP-SC o acusou um mês depois do crime pela prática de feminicídio com as qualificações de motivo torpe e meio cruel. As informações são do UOL.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas