Inglaterra terá força máxima contra a Croácia

esportes
09.07.2018, 20:05:00
Atualizado: 09.07.2018, 20:06:18
Pickford chegou a preocupar após ter machucado o dedo, mas está liberado e joga a semifinal (AFP / EMMANUEL DUNAND)

Inglaterra terá força máxima contra a Croácia

Jogadores que poderiam ser problemas estão recuperados e à disposição de Southgate

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Perto de voltar a uma final de Copa do Mundo depois de 52 anos, a Inglaterra terá força máxima para enfrentar a Croácia desta quarta (11), às 15h, em Moscou. O goleiro Pickford, o volante e capitão Henderson e o atacante Vardy, que eram tratados como dúvidas para a partida treinaram normalmente e estão à disposição do técnico Southgate, além de todo o elenco. 

O que mais preocupava era Henderson, substituído no final da partida contra a Suécia, pelas quartas de final, com dores na coxa. Nenhuma lesão, no entanto, foi constada e o jogador está totalmente liberado. Vardy se recuperou de um problema na virilha e Pickford tinha machucado o dedo de uma das mãos após um soco no chão, mas garantiu que não teve nada demais e que vai para o jogo. 

A confiança em chegar à decisão e conquistar o bicampeonato é grande entre os jogadores. O zagueiro Maguire, autor de dois gols no Mundial, não escondeu o otimismo. 

Temos sido muito fortes em todos os jogos, sentimos que estamos ficando mais confiantes. E há uma grande crença entre nós que podemos ir para a final agora, e depois olhar para frente a partir disso. Nós deixamos o país orgulhoso e esse era o nosso objetivo no início da competição. Partimos e queríamos fazer os fãs voltarem para casa realmente felizes. Queríamos colocar orgulho na camisa. Nós sentimos que fizemos isso, mas agora podemos ver luz no fim do túnel. Todos estão obviamente empolgados e nós também", admitiu. 

O lateral Ashley Young, jogador mais velho do elenco e completou 33 anos ontem, também partilha da mesma opinião e foi só elogios ao grupo e se mostrou esperançoso em repetir o título de 1966. 

"Foi bom vencer a Suécia, a comemoração foi controlada, porque ainda temos muito pela frente. Acho que temos grandes chances de conquistar a Copa do Mundo. Acho que estamos em ótima condição". 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas