Irmãos condenados por morte do casal Richthofen vão para regime semiaberto

brasil
19.02.2013, 13:00:00
Atualizado: 19.02.2013, 13:01:24

Irmãos condenados por morte do casal Richthofen vão para regime semiaberto

Os dois foram condenados, em 2006, junto com Suzane von Richthofen

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Folhapress

Os irmãos Cristian e Daniel Cravinhos vão cumprir o restante da pena em regime semiaberto - onde o detento apenas dorme na prisão. Os dois foram condenados, em 2006, junto com Suzane von Richthofen pelo assassinato dos pais dela, ocorrido em 2002. Os dois estão presos desde novembro de 2002.

De acordo com o Tribunal de Justiça, o Ministério Público apresentou parecer favorável à progressão. Em sua decisão, a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da Vara das Execuções Criminais de Taubaté, afirmou que Cristian e Daniel vêm mantendo “bom comportamento carcerário” e que a boa disciplina dos irmãos foi atestada pelo diretor da penitenciária de Tremembé (SP).

Cristian foi condenado a 38 anos, um mês e 18 dias de reclusão enquanto Daniel, que namorava Suzane na época do crime, foi condenado a 38 anos, 11 meses e 17 dias de prisão. Ainda segundo a juíza, o tempo de cumprimento das penas é suficiente para conceder o benefício.

O Ministério Público também apresentou parecer favorável a progressão do regime fechado para o semiaberto. Em junho de 2011, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou pedido de progressão para o regime semiaberto formulado pela defesa de Suzane. Com a decisão, ela continua presa em regime fechado em Tremembé.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas