Jogador mais regular do meio-campo do Vitória, Rend projeta acesso e taça do Nordestão

e.c. vitória
06.07.2020, 05:00:00
Guilherme Rend durante treino na Toca do Leão (Letícia Martins / EC Vitória)

Jogador mais regular do meio-campo do Vitória, Rend projeta acesso e taça do Nordestão

Volante de 21 anos explica o que foi fundamental para se firmar no time

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Guilherme Rend não tem um nome consolidado no mundo da bola e é um dos jogadores mais jovens do elenco do Vitória. Apesar disso, o volante de 21 anos desbancou alguns veteranos no começo da temporada e se firmou no time. Jogador mais regular do meio-campo, ele foi titular em nove das 10 partidas disputadas pela equipe principal do Leão este ano.

Rend só desfalcou o Vitória por suspensão, contra o Lagarto-SE, na segunda fase da Copa do Brasil. Todos os outros jogadores que passaram pelo meio-campo rubro-negro nos três primeiros meses do ano - até a pandemia do coronavírus interromper as competições - perderam espaço no time em algum momento por lesão ou opção técnica.

A aposta contratada em 2019 agarrou as oportunidades e mostrou potencial para se consolidar como realidade em 2020. Guilherme Rend chegou à Toca do Leão em julho do ano passado e reforçou a equipe sub-23 em nove jogos do Brasileiro de Aspirantes, sempre como titular. Antes, havia defendido o Jacuipense em uma partida da Série D do Campeonato Brasileiro. Na avaliação do volante, ter chegado ao clube na temporada anterior o ajudou a mostrar bom desempenho na atual.  

"Fundamental foi a entrega, a convivência que tive com o elenco profissional desde o ano passado. Não joguei nenhum jogo, mas dentro da vivência com o profissional eu procurei aprender o mais rápido possível a dinâmica do jogo, entender a cabeça do treinador (na época Geninho). E fundamental também foi o entrosamento com o grupo", pontuou.

Apesar de ser soteropolitano, Rend foi revelado por um clube do Sul do país. Aos 13 anos, ele ingressou no Salvador FC, time da capital baiana que disputa somente torneios de base e cujos donos são os mesmos que agora administram o Jacuipense. Aos 17, se transferiu para o Athletico-PR, onde se profissionalizou. No ano passado, o volante foi emprestado ao Toledo-PR e foi vice-campeão do Campeonato Paranaense.

A concorrência no elenco do Vitória é grande: há oito jogadores para a posição. Além de Guilherme Rend também estão disponíveis Fernando Neto, Jean, Maikon Douglas, Rodrigo Andrade, Romisson e também Figueiredo e Gabriel Bispo, recém-promovidos do time de aspirantes que acabou extinto por causa da crise financeira resultante da pandemia. Destes, Fernando Neto foi o companheiro com quem Rend mais atuou. Eles estiveram juntos nas seis primeiras partidas da temporada até Fernando Neto se lesionar. Rodrigo Andrade e Jean ocuparam a vaga na sequência.  

"Espero continuar mantendo o padrão que vinha atuando nos jogos, a regularidade e boas atuações", vislumbra Guilherme Rend. Após três semanas de atividades na Toca do Leão, ele diz estar perto de alcançar a performance que apresentava antes do centro de treinamento ser fechado em março.

"No começo foi um pouco cansativo. Mesmo com treino em casa, sabemos que não é o suficiente para manter regularidade e parte física. As primeiras semanas foram sofridas, mas agora estamos desenvolvendo um trabalho bom. Acredito que a parte física, como a técnica, está voltando tudo ao normal e com certeza estaremos preparados para estrear novamente", afirma. Enquanto o Campeonato Baiano e a Copa do Nordeste ainda não têm data para recomeçar, o início da Série B está marcado para 8 de agosto, e o Leão estreia em casa contra o Sampaio Corrêa.

Rend quer voltar logo a disputar jogos e reforça as metas do elenco. "Fechamos uma mentalidade boa para a temporada que é o acesso à Série A e ser campeão da Copa do Nordeste. A expectativa é a melhor possível. Foram longos três meses de espera para voltar a atuar, então a gente espera o mais rápido possível estar dentro de campo para fazer o nosso melhor e conseguir o acesso", projeta.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas