Jordana promete 'dar a vida' no Ba-Vi: 'Sempre fui apaixonada pelo Bahia'

esportes
09.09.2021, 18:44:00
Atualizado: 09.09.2021, 19:02:15
Jordana é jogadora e torcedora do Bahia (EC Bahia/Divulgação)

Jordana promete 'dar a vida' no Ba-Vi: 'Sempre fui apaixonada pelo Bahia'

"Para mim, é um orgulho imenso estar jogando pelo time que eu amo", comemorou a jogadora

Aos 21 anos, Jordana está realizando um sonho. Afinal, a volante não apenas joga no Bahia, como também é torcedora do time. A identificação com o Esquadrão vem do berço, graças ao pai, João Carlos. Agora, a atleta está prestes a encarar seu primeiro clássico Ba-Vi da carreira.

O tricolor enfrenta o Vitória neste sábado (11), às 15h, no CT Manoel Pontes Tanajura, pelo Campeonato Baiano Feminino. Às vésperas de disputar o duelo, Jordana falou sobre a cobrança do pai.

"É o jogo que tem que dar a minha vida (risos). Não que os outros não sejam, mas Ba-Vi é Ba-Vi. Meu pai principalmente, que é Bahia doente, fala: 'Ba-Vi tem que dar a vida'", disse. "Sempre fui apaixonada pelo Bahia, meu pai também. Para mim, é um orgulho imenso estar jogando pelo time que eu amo", se declarou a volante.

Além da torcida do pai, Jordana também falou sobre a mãe, Nilda, que é baiana de acarajé. A jogadora comemorou a relação entre elas.

"Ela já gosta quando eu elogio o acarajé dela (risos). A gente tem uma relação muito boa. Eu incentivo, ajudo ela bastante em relação ao acarajé. Temos um objetivo, conseguir algo a mais. Mas, sempre que eu tenho oportunidade, eu falo para outras pessoas sobre o acarajé dela [Nilda do Acarajé], que é muito bom, inclusive. O melhor da Bahia, viu? Vocês têm que provar (risos). E a relação da gente é boa. Ela me incentiva, me ajuda, se preocupa bastante quando falo que estou sentindo dores. Tenta cuidar de mim, do jeito dela. A relação da gente é bem tranquila".

O Ba-Vi botará, frente a frente, os dois times com 100% de aproveitamento no Baianão feminino. Tanto o Esquadrão como o Vitória fizeram três partidas, e ganharam todas. O que aumenta ainda mais a rivalidade do clássico. 

"Um Ba-Vi sempre será uma final antecipada. O objetivo da gente é ficar em primeiro, claro, e terminar o campeonato muito bem", afirmou Jordana. "Nosso primeiro objetivo é terminar o campeonato 100%. E vamos em busca disso [ficar em primeiro]. Lutar. Não vai ser fácil, tenho certeza que a outra equipe também está lutando para isso. Mas a gente está trabalhando forte para conseguir nossos objetivos".

Apesar dos três triunfos, a jogadora ainda vê as Mulheres de Aço com espaço para evolução. Jordana destacou o pouco tempo que a equipe teve para treinar, mas se mostrou confiante no futuro.

"A gente teve um tempo mínimo para a equipe se entrosar. Sei que a gente pode melhorar, pode dar mais em campo. A gente tem saído com o triunfo, mas eu sei que cada uma de nós pode dar mais. E estamos evoluíndo, se entrosando bem, e vai evoluir. Sei que vai, até o fim do campeonato".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas