Juazeirense bate Cruzeiro nos pênaltis e avança na Copa do Brasil

esportes
09.06.2021, 21:39:00
Atualizado: 09.06.2021, 22:25:26
Lance do jogo entre Juazeirense e Cruzeiro pela Copa do Brasil (Bruno Haddad/Cruzeiro)

Juazeirense bate Cruzeiro nos pênaltis e avança na Copa do Brasil

Após perder no primeiro jogo, Cancão de Fogo faz gol aos 40 minutos do segundo tempo, vê Calaça brilhar nas penalidades e vai para as oitavas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pela primeira vez em sua história, a Juazeirense está nas oitavas de final da Copa do Brasil. Mais que isso: a vaga veio após o Cancão de Fogo eliminar o Cruzeiro, maior campeão da competição, com seis troféus. Nesta quarta-feira (9), o time baiano ganhou o jogo de volta da terceira fase por 1x0, gol de Thauan aos 40 minutos do segundo tempo, e levou a disputa para os pênaltis no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro, pois havia perdido pelo mesmo placar no Mineirão.

Nas cobranças, o goleiro Rodrigo Calaça brilhou, com duas defesas. A Juazeirense acertou três, a Raposa fez só duas, e o Cancão garantiu a classificação, embolsando R$ 2,7 milhões. A equipe, aliás, já tinha tirado o Sport na primeira fase, além de ter passado, também nos pênaltis, pelo Volta Redonda. O adversário das oitavas será definido por sorteio.

Rodrigo Calaça brilhou nos pênaltis e colocou a Juazeirense nas oitavas da Copa do Brasil
(Foto: Reprodução/SporTV)

No Adauto Moraes, Juazeirense e Cruzeiro fizeram um primeiro tempo ruim, com poucos lances de perigos dos dois lados e dificuldade na criação da jogadas. Naturalmente, quem mais tentou foi o time baiano, já que precisava da vitória para se classificar.

O gramado irregular atrapalhou ainda mais a qualidade do jogo apresentado. Os dois times erraram muitos passes, alguns até fáceis. Sem inspiração, o Juazeirense apostou nos lançamentos e cruzamentos para a área, mas não teve êxito. A oportunidade mais clara de gol dos baianos saiu dos pés de Clébson, que chutou de fora da área para a defesa de Fábio.

O Cruzeiro também encontrou problemas para articular jogadas e praticamente não levou perigo ao gol adversário. A equipe mineira jogou com o regulamento a seu favor e tentou administrar a vantagem. Levou perigo apenas com Bruno José, em finalização para fora.

No segundo tempo, o jogo ficou mais movimentado à medida que os anfitriões intensificaram a pressão pelo gol. O Cruzeiro encontrou espaços para contra-atacar e construiu duas boas oportunidades para abrir o placar, mas Bissoli e Bruno José desperdiçaram. A mais clara delas foi com Bruno José, que saiu cara a cara com Rodrigo Calaça, tentou uma cavadinha, mas parou no goleiro.

O Juazeirense se lançou ao ataque e chegou duas vezes com perigo, ambas a partir de bolas aéreas. Clébson mandou cabeceio para fora, e Wendell cabeceou perto do gol. O Cruzeiro continuou se defendendo bem e respondeu com Airton. O atacante, livre, recebeu cruzamento na área, mas finalizou de cabeça para fora.

No fim, a Juazeirense conseguiu o precioso gol na base da insistência. Kanu desviou lançamento, Kesley foi à linha de fundo e cruzou para trás, na pequena área, onde estava Thauan, que bateu forte para estufar as redes aos 40 minutos e comemorar efusivamente.

Nos acréscimos, Ramon tocou na saída do goleiro, mas Waquinho salvou em cima da linha. No rebote, o zagueiro do Cruzeiro acerta o travessão. Revoltados, os cruzeirenses foram reclamar com a arbitragem, entendendo que a bola entrou. O árbitro expulsou o técnico Felipe Conceição e o lateral Matheus Pereira.

Pênaltis
Fim do tempo regulamentar e bola na marca da cal. Nos pênaltis, Rodrigo Calaça brilhou desde o início. Rômulo, do Cruzeiro, abriu as cobranças e o goleiro pulou no canto direito e defendeu. Na sequência, Kanu converteu para a Juazeirense e Felipe Augusto bateu para fora. Wendell fez e deixou 2x0 a favor do time baiano.

Cáceres, Ian Augusto e Adriano revezaram-se em acertar o gol até que Guilherme Lucena teve a chance de definir a classificação se fizesse, mas o goleiro Fábio pegou e manteve o Cruzeiro vivo até a cobrança seguinte, quando Calaça pegou o chute de Matheus Barbosa no canto esquerdo. 

Após a partida, o técnico Felipe Conceição acabou demitido do Cruzeiro.
 

FICHA TÉCNICA

Juazeirense: Rodrigo Calaça, Guilherme Lucena, Mineiro (Kanu), Eduardo (Wendell) e Daniel; Waguinho, Sapé (Waldir) e Patrik; Kesley, Clebson (Ian Augusto), Tony Galego (Thauan). Técnico: Carlos Rabello

Cruzeiro: Fábio, Cáceres, Wéverton, Ramon e Matheus Pereira (Kaiki); Matheus Neris (Paulo), Matheus Barbosa e Rômulo; Bruno José (Stênio), Airton (Felipe Augusto) e Guilherme Bissoli (Adriano). Técnico: Felipe Conceição

Estádio: Adauto Moraes, em Juazeiro 

Gol: Thauan, aos 40 minutos do 2º tempo

Cartões amarelos: Eduardo, Kanu, Waldir, Patrik, Clebson (Juazeirense); Weverton, Ramon, Matheus Neris e Stênio (Cruzeiro) 

Cartões vermelhos: Matheus Pereira e Felipe Conceição

Arbitragem: Rodrigo Carvalhães, auxiliado por Thiago Henrique Neto e Thiago Rosa de Oliveira (trio do RJ)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas