Justiça realiza audiência sobre o caso do menino Lucas Terra

bahia
12.09.2008, 10:07:19

Justiça realiza audiência sobre o caso do menino Lucas Terra

Serão ouvidos dois suspeitos de estrangular e abusar sexualmente do garoto em março de 2001

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A audiência com os acusados pela morte do menino Lucas Terra, em março de 2001, acontece nesta manhã (12) na 2ª Vara do Júri do Fórum Ruy Barbosa. Serão ouvidos o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Fernando Aparecido, e o Pastor Joel Miranda. Fernando chegou a ser preso no Recife mas foi solto graças a um habeas corpus. O outro acusado, o pastor Joel Miranda, está foragido no Rio de Janeiro e a expectativa é de que ele apareça para a audiência. O juiz Vilebaldo José de Freitas Pereira é o responsável pelo caso.

Os dois religiosos foram acusados, em 2006, pelo pastor Sílvio Roberto Santos Galiza, de participar da morte de Lucas Vargas Terra, de 14 anos. Galiza já foi condenado pelo crime em três instâncias, mas entre a primeira e a terceira teve a pena reduzida de 23 para 15 anos de prisão. Hoje, ele cumpre pena no Complexo Penitenciário do Estado, no bairro Mata Escura.

Na última audiência do caso os acusados não compareceram. No dia 29 de maio o ex-pastor auxiliar Silvio Galiza, condenado a 15 anos de prisão, participou de uma audiência e deu declarações importantes que incriminam o ex-bispo Fernando Aparecido. 

Lucas Terra era obreiro da Igreja Universal do Reino de Deus e sonhava em ser bispo ou médico. Ele tinha 14 anos quando foi estrangulada, abusado sexualmente e carbonizado, no dia 21 de março de 2001. O corpo do adolescente foi jogado num terreno baldio na Avenida Vasco da Gama.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas