Lateral do Corinthians é preso por injúria racial e liberado após fiança

esportes
15.05.2022, 19:29:00
(Rprodução/Premiere)

Lateral do Corinthians é preso por injúria racial e liberado após fiança

Rafael Ramos teria chamado o volante Edenilson, do Internacional, de 'macaco' durante a partida

O lateral-direito português Rafael Ramos, do Corinthians, foi preso em flagrante por agentes da Polícia Civil no fim da noite deste sábado (16), no vestiário do estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. O jogador foi autuado após o volante Edenilson, do Internacional, prestar uma queixa-crime contra o jogador, alegando ter sido chamado de "macaco" pelo atleta durante o empate em 2 a 2 entre as equipes, pelo Brasileirão. Ele pagou uma fiança no valor de R$ 10 mil e foi liberado.

A informação foi confirmada pelo delegado Carlo Vitarelli, que falou com jornalistas logo após o depoimento do jogador do Internacional. Ele explicou que como o atleta corintiano foi autuado por injúria racial, diferentemente do crime de racismo, inafiançável por lei, ele teve a possibilidade de ser liberado mediante o pagamento da fiança.

Rafael Ramos falou brevemente com a imprensa antes de deixar o Beira-Rio. Segundo o jogador português, a situação foi um mal entendido e ele confirmou que conversou com Edenilson após a partida.

"Estou aqui de cabeça e consciência limpa. Foi apenas um mal entendido entre mim e o Edenilson. Falei com ele ao final do jogo e expliquei para ele a verdade, o que eu tinha dito. Ele me disse que tinha receio de passar como mentiroso, mas eu o disse que ele não seria 'mentiroso', apenas entendeu errado o que foi dito. Apertamos as mãos e foi isso", disse o jogador, deixando o local em seguida antes mesmo que a imprensa pudesse fazer qualquer pergunta. Minutos depois, ele também se manifestou nas redes.

Em nota oficial, o Corinthians afirma que Rafael Ramos foi ouvido pelo clube e deu versão diferente da apresentada por Edenilson. O clube paulista ressalta que repudia e não compactua com o racismo. Tanto o Corinthians quanto o lateral "continuarão a colaborar com as autoridades, certos de que tudo será esclarecido o mais rapidamente possível", diz o comunicado.

Em publicação em sua conta do Instagram, Edenilson escreveu que essa foi a primeira vez que passou por uma situação como essa. Sobre a resposta do lateral corintiano, atleta do Inter afirmou que o procurou para que ele assumisse o que fez e pedisse desculpas, mas "o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians, e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir".

Veja a publicação de Edenilson

Entenda o caso

O volante Edenilson, do Internacional, alega ter sido chamado de "macaco" pelo lateral-direito Rafael Ramos durante o segundo tempo do empate por 2 a 2 com o Corinthians, pelo Brasileirão. A partida seguiu normalmente, mas ao fim do jogo o atleta colorado decidiu prestar queixa contra o jogador corintiano.

Segundo relato de Edenilson nas redes sociais, ele procurou Ramos no vestiário e pediu que o lateral se desculpasse. O jogador português teria se desculpado "por alguma possível" ofensa, mas não pelo termo racista.

O árbitro da partida, Braulio da Silva Machado, relatou na súmula da partida que Edenilson o informou que Rafael Ramos teria dito a ele a frase "f...-se macaco", mas o jogador do Corinthians afirmou que na verdade disse "f...-se c...*". Ainda de acordo com o árbitro, a partida seguiu sem nenhum tipo de punição porque ele não conseguiu ouvir a real frase por causa do barulho da torcida e da distância que estava dos atletas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas