Leia o discurso de posse do prefeito ACM Neto, empossado nesta terça-feira (1º)

salvador
01.01.2013, 16:58:00

Leia o discurso de posse do prefeito ACM Neto, empossado nesta terça-feira (1º)

O texto, lido para uma multidão na Praça Municipal, foi publicado na íntegra no site oficial do democrata

Da Redação

O prefeito ACM Neto (DEM), a vice-prefeita Célia Sacramento e 43 vereadores foram empossados na Câmara Municipal de Salvador nesta terça-feira (1º). Após cerimônia na Casa, o democrata discursou para uma multidão no Palácio Thomé de Souza. Leia abaixo, na íntegra, tudo que foi dito pelo novo prefeito da capital baiana, publicado no site oficial do político.


Ao lado da vice-prefeita e do deputado federal Antônio Imbassahy, prefeito ACM Neto toma posse em cerimônia na Câmara (Foto: Valter Pontes / Coperphoto)

Discurso de posse

Estou aqui neste primeiro dia do ano, sinceramente grato pela confiança desse maravilhoso povo de Salvador, consciente dos grandes desafios que tenho pela frente e da enorme responsabilidade de resgatar o brilho e a alegria da nossa cidade.  Agradeço a todos pelo apoio, incentivo e carinho que recebi durante toda essa caminhada.

Daqui de onde estou sei que me contemplam séculos de história. Dessas paredes ecoam as vozes de muitos que por aqui passaram. Thomé de Souza, primeiro governador-geral do Brasil, já esteve nesse mesmo Paço, onde estou hoje e decidiu que aqui seria construída a primeira capital do país. Foi preciso o esforço e o suor de muitos para erguer essas colunas. Para construir essas ruas. Para levantar, bloco por bloco, as mais belas igrejas e catedrais, as mais graciosas praças, as mais sinuosas ruas… A fundação do país começou aqui nessa singular península que a Baía de Todos os Santos carinhosamente abraça. Com toda essa história e beleza natural caminhando juntas, não é à toa que Salvador tenha recebido o título de Patrimônio Cultural da Humanidade.

Uma cidade que nasceu para ser importante, para ter uma posição central no desenvolvimento do nosso país. Uma cidade que, desde a sua fundação, foi cantada em verso e prosa, retratada das mais diversas formas. De Gregório de Matos a Jorge Amado, de Dorival Caymmi a Caetano Veloso, de Caribé a Pierre Verger, passando por Vinícius de Moraes, Raul Seixas, João Ubaldo, Antônio Risério, Mário Cravo, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Márcio Vitor, Pitty, Mariela Santiago, Lucas Santana, Ronei Jorge, Fred Dantas, Letieris Leite, Sérgio Machado, e tantos, tantos outros escritores, poetas, compositores, artistas plásticos, fotógrafos e cineastas, daqui e de todos os cantos, que se encantaram por essa terra. Que ficaram fascinados com a nossa arquitetura, com as nossas belezas naturais e com a alegria e simpatia da nossa gente. Que ajudaram a tornar Salvador conhecida e admirada no mundo todo. O soteropolitano tem muitos motivos para se orgulhar da sua cidade.

Salvador não é um simples aglomerado urbano. E, por isso, não pode ser tratada de qualquer jeito. O prefeito dessa cidade precisa saber respeitar essa história. Precisa saber modernizar seu funcionamento, mas sem ferir suas tradições. Precisa compreender que essa cidade é um patrimônio que tem de ser preservado para as futuras gerações. Mas, ao mesmo tempo, não podemos esquecer que Salvador é uma cidade viva, dinâmica e que não para de se transformar.

Tenho exata noção da minha responsabilidade neste momento. A partir de hoje minha dedicação à nossa querida Salvador será total. Vou trabalhar incansavelmente para cumprir os compromissos que assumi com a população. Sei que não vai ser fácil. Mas, uma coisa posso garantir a vocês, não tenho medo de desafios. Aliás, tenho convicção de que são os desafios que nos fazem avançar.

Mas não estou aqui para iludir ninguém. Não vou prometer soluções milagrosas ou criar falsas expectativas. Os problemas da cidade não serão resolvidos da noite para o dia. As conquistas – nós sabemos – não caem do céu… não são servidas em bandeja de prata. As conquistas, para acontecerem, precisam de muito trabalho, muito planejamento, muita dedicação… e, também, de algum sacrifício. Não vou deixar de tomar medidas duras, mas que são necessárias para tirar a nossa cidade da situação que ela se encontra. Algumas vezes é preciso tomar um remédio amargo agora para trazer resultados no futuro.

Então, quero dizer a vocês que tudo tem o seu devido tempo. Quem tira seu sustento da terra sabe que existe um tempo de arar… um tempo de plantar… tempo de regar… e aí sim vem o tempo de colher. Os primeiros meses da minha gestão vão ser de muito trabalho duro, de medidas austeras, mas ainda de pouco para colher. É preciso ter alguma paciência. Não podemos atropelar as etapas que, necessariamente, precisamos percorrer. Quero ser cobrado pelo que fiz em meu mandato, não pelo que fiz em 100 dias, seis meses ou um ano. Mas, reafirmo, em seu tempo, meus compromissos assumidos serão cumpridos.

E para avançar de verdade, para colocar a nossa cidade de novo no eixo, vou precisar do apoio de todos vocês. Ninguém faz nada sozinho, muito menos administrar uma cidade do tamanho e da complexidade de Salvador. Precisamos fazer um amplo pacto pela reconstrução de Salvador. Um pacto que consiga unir partidos, ideologias, classes sociais, setores produtivos e crenças. E nesse pacto, o exemplo tem de vir primeiro de nós, políticos.

A eleição acabou. É hora de descer do palanque. Não vou governar fazendo política partidária, pensando nas próximas eleições. Não vou admitir que se negocie o futuro da nossa cidade em troca de favores e vantagens políticas. Não. Podem ter certeza, em meu governo os interesses de Salvador vão estar sempre em primeiro lugar. Quero fazer um governo da pluralidade, da inclusão, da transparência. Não vou governar olhando para a cor da camisa de ninguém.

O fisiologismo está proibido na prefeitura. Esta história nefasta do toma lá dá cá não pode e não vai ser aceito neste governo. No novo secretariado da prefeitura, procurei escolher os melhores, os mais capazes, os mais comprometidos com o trabalho. Vamos implantar uma prática de gestão moderna e eficiente, estabelecendo metas claras e, principalmente, cobrando resultados. Todos os meus secretários assinaram uma carta de princípios que deverão seguir à risca.

Não vou tolerar, em hipótese alguma, a corrupção. Pré-requisito número um para fazer parte dessa administração é ser ficha limpa. Meu compromisso é com a transparência, com a ética, com a austeridade. Quem fizer diferente disso será exonerado, investigado e responderá na justiça pelos seus atos.

Sem dúvida, a nossa primeira grande tarefa vai ser colocar ordem na casa, cuidando dos problemas imediatos… problemas que nós vamos enfrentar um por um a partir de agora. Muitas vezes, são problemas simples, mas que, somados, estão transformando a nossa cidade num verdadeiro caos. São sinaleiras desreguladas. É o lixo nas ruas. São os buracos no asfalto. É o posto de saúde que não funciona. E eu poderia ficar aqui enumerando ainda diversos problemas que estão se acumulando e dificultando a vida das pessoas. Então a primeira coisa é enfrentar essas questões e resolvê-las.

Arrumar a casa é o nosso compromisso número um. Mas precisamos ir além disso. Um prefeito não pode se contentar apenas em ser um mero síndico… ser um simples cumpridor de tarefas que vai resolvendo os problemas cotidianos à medida que eles vão surgindo. Não podemos nos esquecer também do dia de amanhã. É preciso planejar a nossa cidade, projetá-la para o século 21. Plantar sementes hoje que possam dar frutos no futuro.

Daqui a quatro anos, quero ser cobrado pelos meus compromissos assumidos com a população. Quero uma cidade que não traga tanto desconforto no trânsito, que tenha um transporte público mais estruturado, com estações mais bem cuidadas, com ônibus novos e mais confortáveis.

Daqui a quatro anos, queremos uma administração muito mais próxima da população, com a implantação das prefeituras-bairro. Não podemos aceitar como normal que a prefeitura leve semanas, às vezes meses, para resolver pequenos problemas que tanto atrapalha o dia a dia do cidadão.

Daqui a quatro anos quero que a saúde pública de Salvador seja vista com outros olhos por seus usuários. Vamos começar pelo básico, que é fazer com que as unidades de saúde que já existem voltem a funcionar de forma decente. Que tenham médicos, medicamentos e aparelhos funcionando. A partir daí, vamos voltar a investir na instalação de novas unidades de saúde, como os Multicentros Salvador, começando pelos bairros mais carentes da cidade.

Daqui a quatro anos, queremos uma educação que seja exemplo para outras grandes cidades brasileiras. A educação precisa cumprir o seu papel de preparar as nossas crianças e jovens para o futuro.

E principalmente quero que, daqui a quatro anos, Salvador seja uma cidade muito mais justa. Infelizmente, a nossa cidade ainda é uma das capitais mais desiguais do país. A taxa de desemprego é uma das mais altas. Nosso déficit habitacional é um dos maiores. Nossa renda per capta é uma das menores. E o mais grave é que ainda temos bairros inteiros vivendo na pobreza extrema. Alguns exemplos emblemáticos do que estou falando são a Cidade de Plástico em Periperi, a Baixa do Petróleo em Massaranduba, o Areal em Coutos, e muitos outros. Esses são alguns locais onde estive pessoalmente, onde conversei com as pessoas, onde pude testemunhar condições de vida inaceitáveis. Quero novamente reafirmar aqui que nossa prioridade vai ser melhorar a vida dessas pessoas. Já nesta semana, eu e uma equipe de secretários e técnicos, vamos visitar alguns desses bairros para identificar tudo o que pode ser feito emergencialmente e planejar ações futuras. Não estou prometendo resolver o problema dessas pessoas de uma hora para outra. Mas enfrentar essa situação com a seriedade e o compromisso que merece. Tenho certeza que, em seu tempo, vamos alcançar grandes conquistas.

A primeira grande mudança que desejo implementar na nossa prefeitura é no jeito de governar. Precisamos agir com profundo respeito pelo cidadão. Trabalhar com compromisso e dedicação. Hoje uma das grandes queixas do morador é que ele simplesmente não tem a quem recorrer. Há um sentimento de desamparo nas pessoas. Quero que a população de Salvador saiba que a partir de hoje tem um prefeito que vai chegar junto, que vai estar ali… presente, fazendo tudo que estiver ao seu alcance pra cuidar da cidade.

Todos nós sabemos que Salvador passa hoje por uma grave crise financeira. Mas isso não pode ser motivo de paralisia. Isso não pode ser motivo para que a prefeitura fique parada. Precisamos nos mexer e, sem dúvida, um dos primeiros objetivos é enfrentar o problema da falta de recursos.

Vamos apertar os cintos. Nós não temos o direito de desperdiçar um centavo sequer do dinheiro da prefeitura. Nós vamos gastar sim. Mas vamos gastar com aquilo que é necessário. Precisamos gastar menos com a estrutura da prefeitura e mais prestando um serviço decente ao cidadão de nossa cidade. Vamos também trabalhar para aumentar a arrecadação. Precisamos fazer a nossa economia crescer atraindo novas empresas.

Quero ter uma relação cordial com o governo estadual e o governo federal, buscando novas parcerias onde a gente tiver de buscar e também exigindo aquilo que Salvador merece e tem direito.

A terceira maior cidade do país vai receber um tratamento digno de sua importância para a nação. E com bons projetos, com uma administração comprometida de verdade com as melhores práticas de governança, a nossa cidade vai conseguir captar muito mais investimentos.

Claro… não podemos nos esquecer que nos próximos anos Salvador será palco de grandes eventos esportivos. Eu vejo aqui uma excelente oportunidade para que a nossa cidade dê um salto no seu desenvolvimento e cure de vez essa ferida na nossa autoestima.

Precisamos aproveitar da melhor forma possível estes eventos. Não queremos apenas que o visitante saia daqui encantado com a nossa terra. Não. Queremos muito mais do que isso. Queremos que estes eventos tragam benefícios reais para os moradores daqui. Vamos trabalhar para que Salvador seja orgulho de todos nós soteropolitanos, baianos, brasileiros e estrangeiros.

Vamos trabalhar para que a nossa população esteja preparada para os empregos que vão surgir durante as copas. Não podemos aceitar que a nossa gente perca oportunidade de emprego e renda por simples falta de treinamento e qualificação.

Calcula-se que, em 2011, o setor de turismo foi responsável por mais 98 milhões de empregos diretos e 255 milhões indiretos, em todo o mundo. Isso é mais do que o número de empregos gerados pela indústria de automóveis. O turismo tem potencial para ser o motor da nossa economia. Salvador tem tudo pra ser a capital da diversidade cultural e do turismo na América Latina. Só precisamos nos preparar para isso.

Na nossa prefeitura, vamos dar atenção especial à geração de empregos. Não há dúvida de que essa é a melhor forma para combater as desigualdades sociais. Mas vamos também trabalhar para que os programas sociais, como o Bolsa Família, sejam ampliados em nossa cidade.

Vamos apoiar e valorizar o servidor público para que ele desempenhe com orgulho e eficiência a sua função. Vamos implantar sistemas de gestão que incentivem o aumento da produtividade, premiando aqueles que têm melhor desempenho.

Eu quero que a alegria volte a tomar a conta da nossa cidade. Não uma alegria passageira de uma festa que tem dia e hora para acabar. Mas uma alegria verdadeira, de quem tem uma vida decente e vê adiante um futuro promissor. E para que essa alegria tome conta da gente, nosso governo tem de ser sério, tem de respeitar o cidadão, tratá-lo como ele merece.

Não poderia deixar de lembrar aqui do senador Antonio Carlos Magalhães, que tanto fez pela Bahia e, especialmente, por essa cidade. Certa vez, conversando com meu avô, ele me confessou que, como político, nunca se sentiu tão realizado do que quando ele foi prefeito de Salvador. Ninguém pode negar… Antonio Carlos Magalhães fez uma administração que foi um marco na história da nossa cidade. Como disse Jorge Amado, ele colocou sua paixão a serviço de Salvador. É isso que nosso governo precisa fazer. Trabalhar com paixão para trazer o brilho de volta a nossa cidade.

Com os vereadores que compõem essa Câmara Legislativa, quero construir uma relação de trabalho, harmonia e respeito. Tenho a convicção de que compartilhamos objetivos comuns para o bem de Salvador. E estes objetivos comuns hão de nos unir na defesa da nossa cidade.

Não faremos um governo olhando para o retrovisor. Não vou ficar me lamentando da herança maldita, ou procurando culpados. Se aceitei este desafio é porque acredito que é possível fazer mais e fazer melhor. Já sabia que não ia ser fácil. O que importa é que pra onde quer que olhemos, existe trabalho a ser feito. O que importa mesmo são os desafios que temos pela frente.

Sei que a maioria dos soteropolitanos compartilha comigo a fé de que Salvador irá cumprir o seu destino. A nossa cidade traz consigo quase 500 anos de história. Histórias de luta e superação. A primeira capital do País merece voltar a ser querida e admirada por todos, moradores e visitantes. Juntos, vamos construir a Salvador que todos nós queremos.

Eu me atrevo a dizer que Salvador é a cidade do coração de muitos brasileiros. Sempre fomos conhecidos pela receptividade e alegria. Sei que o desafio é grande, mas devo lhes dizer que precisamos voltar a sonhar. Um sonho coletivo de uma cidade com qualidade de vida melhor, de tranquilidade, de perspectiva de futuro.

As pessoas costumam dizer que crises trazem também oportunidades. Temos de encarar a crise que a cidade vive hoje, como uma oportunidade. Uma oportunidade para virar o jogo e alcançar grandes conquistas. Uma oportunidade para redescobrir a Salvador que tanto amamos.

Agora chegou a hora em que as palavras terão um valor fundamental, pois a administração pública não pode ser exercida sem o diálogo. Mas acima de tudo, agora é a hora da ação. É hora de arregaçar as mangas e colocar o discurso em prática. É hora de trabalhar duro. É hora de tornar o sonho possível.

Foi uma longa caminhada até aqui. Uma caminhada que começou nas ruas. Nasceu do diálogo com o povo de Salvador. E, apesar de reconhecer o tamanho das dificuldades, eu percebi também que as pessoas tinham esperança no coração. Não posso e não vou decepcionar essas pessoas. Amo essa cidade. Nasci aqui e quero morrer aqui. E quero oferecer os próximos quatro anos da minha vida a serviço de Salvador. Eu prometo a vocês que serei um prefeito comprometido, um prefeito que vai suar a camisa, que vai fazer tudo o que é possível, para devolver a essa cidade o brilho e o respeito que ela merece. Muito obrigado e que Deus nos abençoe a todos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas