Líder de facção baiana atuava em parceria com membro do PCC

minha bahia
13.03.2018, 05:00:00
Atualizado: 13.03.2018, 12:01:29

Líder de facção baiana atuava em parceria com membro do PCC

Traficante André Márcio de Jesus lidera facção Mercado do Povo Atitude (MPA)

Foragido do Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador, desde 17 de agosto de 2015, após ficar preso por quase um ano, o traficante André Márcio de Jesus, líder da facção Mercado do Povo Atitude (MPA), atuava no comando do tráfico em Porto Seguro em parceria com o traficante Roberto Carlos Dantas Santos, o Betinho, membro do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Pelo menos um dos suspeitos de explodir a sede da empresa de valores Prossegur, em Eunápolis, no começo da semana passada, tenha ligação com a facção. O elo entre a facção baiana e o maior grupo criminoso do país foi descoberto após a prisão de Betinho e Rivaldo Freitas de Oliveira, o Maicão, em 26 de maio de 2011. Maicão, segundo a polícia, é membro do MPA.

Os dois foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) quando trafegavam num veículo Clio na BR-101, em Camacan, no Sul da Bahia, com pistola, munição de armas de calibre 45, de uso restrito das forças armadas, R$ 425  em espécie e maconha.

Na ocasião, os policiais descobriram no porta-malas do veículo um fundo falso atrás do banco traseiro, utilizado para transportar armas e drogas vindas de São Paulo para a facção MPA.

Após a prisão, a polícia divulgou que Roberto Carlos atuava na liderança do tráfico no Baianão, um dos bairros que são dominados pela facção MPA em Porto Seguro, no Sul da Bahia. Siglas da facção estão espalhadas por vários locais do Baianão e outros bairros periféricos da cidade. Depois de preso, ele foi transferido para São Paulo.

Já Maicão fugiu em 26 de novembro de 2011 da Delegacia de Porto Seguro, após matar um policial militar com quatro tiros. Quem deu fuga a Maicão, segundo a polícia, foi o traficante do MPA Edilson Pereira Viana, o Aleluia, morto um mês depois.

PCC
Betinho já havia sido preso em 2008 em Ilhéus com outros integrantes do PCC, quando planejavam assaltar um banco em Teixeira de Freitas. Fontes da Polícia Civil do Extremo Sul da Bahia informaram que Betinho ajudou André Márcio a eliminar rivais e dominar o tráfico na cidade.

O próprio André Márcio é réu em 12 processos por tráfico de drogas, homicídios, porte ilegal de armas e formação de quadrilha. Quando foi preso em Guarulhos (SP), ele tinha vindo num voo de Aracaju (SE) e, segundo a polícia, se escondia em Bertioga, na Baixada Santista, de onde comandava o tráfico na Bahia.

Ele fugiu do Complexo Penitenciário da Mata Escura junto com outros 19 presos durante uma madrugada. Chegou a figurar no Baralho do Crime da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) como “Ás de Copas”, mas depois de preso foi retirado.