Livro resgata a trajetória de Rômulo Almeida

entretenimento
05.08.2021, 15:00:00
Atualizado: 06.08.2021, 12:08:35
(Divulgação)

Livro resgata a trajetória de Rômulo Almeida

Lançamento será nesta sexta (6), às 18h, com transmissão no YouTube

O livro O Brasil Desenvolvimentista e a Trajetória de Rômulo Almeida: Projeto, Interpretação e Utopia, publicado pela Alameda Editorial, será lançado em evento online nesta sexta-feira (6), às 18h, no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=2Ti5oygDmFg). Participam do encontro o autor, o  professor Alexandre Freitas Barbosa (IEB/USP), o editor da Alameda Casa Editorial Haroldo Ceravolo, a professora Ana Paula Koury, e os professores Gilberto Bercovici e Alexandre Saes, que acompanharam os estudos que deram origem ao livro. O trabalho de pesquisa para a elaboração da obra levou onze anos. 

 “O desenvolvimentismo não foi o modelo econômico que aprofundou a dependência e a desigualdade no Brasil. Para quem interessa perpetuar essa versão anacrônica do conceito? Quais foram as disputas políticas travadas no nascimento do planejamento econômico social brasileiro? O livro  reconstrói  historicamente o conceito de desenvolvimento através da trajetória do economista Rômulo Almeida. Tive a honra de participar da pesquisa em meu estágio de pós-doutorado no Instituto de Estudos Brasileiros”, afirma Paula Koury, acrescentando que a obra instiga debates polêmicos.

Rômulo Almeida nasceu em Salvador em 18 de agosto de 1914 e faleceu em 23 de novembro de 1988 em Belo Horizonte. Fez graduação em Direito pela Faculdade de Direito da Bahia (UFBA) e atuou em nas áreas de planejamento e desenvolvimento econômico. Foi professor em diversas instituições como a Faculdade de Ciências Econômicas da UFBA, a Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, no Curso de Planejamento do Departamento Administrativo do Serviço Público (Dasp) e da Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getulio Vargas (FGV).  Ele teve decisiva na idealização do Polo Petroquímico de Camaçari, do Porto e do Centro Industrial de Aratu, bem como no planejamento e desenvolvimento de obras importantes para a Bahia, a exemplo da Chesf e da  BR-116 (Rio-Bahia).

Rômulo ocupou diversos cargos públicos e participou nos anos 1950, da criação da Petrobras. Foi diretor da Companhia Ferro e Aço de Vitória e, em 1961, foi representante do Brasil junto à Comissão Internacional da Aliança para o Progresso. Em 1985 foi diretor de planejamento da área industrial do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
No cenário político lutou pela aprovação das eleições diretas para presidente em 1984, e foi presidente de honra do PMDB baiano em 1985.


 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas