"Lockdown não resolveu o ano passado, vai resolver este ano?", questiona Bolsonaro

brasil
23.02.2021, 22:31:45
Atualizado: 23.02.2021, 22:42:52
(Divulgação)

"Lockdown não resolveu o ano passado, vai resolver este ano?", questiona Bolsonaro

Presidente anunciou que uma comitiva brasileira irá a Israel, segundo ele para "trazer o spray que lá deu certo em 30 pessoas em estado grave"

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta terça-feira, 23, a apoiadores, ao chegar ao Palácio da Alvorada, que não mandou ninguém ficar em casa, não fechou o comércio e nem destruiu empregos. Bolsonaro voltou a criticar o confinamento contra a covid-19. "Lockdown não resolveu o ano passado, vai resolver este ano? Agora, como é que fica a economia?", perguntou.

"O pessoal reclama de inflação, alta em medicamento, alta em um montão de coisa. Querem culpar quem?", questionou. Ele disse que, quando defendeu o enfrentamento do novo coronavírus, era com a proteção aos mais idosos e ao que têm doenças, "e vida normal". De acordo com Bolsonaro, o coronavírus não vai acabar nunca. "Vai ficar rodando, igual a outro vírus qualquer", afirmou. O presidente voltou também a defender o que chamou de "atendimento precoce", ao dizer que o médico tem esse direito. "Não faz mal."

Bolsonaro anunciou também que uma comitiva vai para Israel no fim de semanal para "trazer o spray que lá deu certo em 30 pessoas em estado grave". O presidente declarou que a terceira fase do estudo israelense será aplicada no Brasil, desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize. "Deve autorizar", complementou.

Argentina

Bolsonaro disse ainda que deve estar na Argentina no fim de fevereiro para a reunião do Mercosul.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas