Maior aspiração é ser tri: com time B, Bahia estreia no Baianão

e.c. bahia
22.01.2020, 05:00:00
Willean Lepo disputa jogada com Alesson, observados por Cristiano (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Maior aspiração é ser tri: com time B, Bahia estreia no Baianão

Adversário tricolor é a Juazeirense de Kanu, ex-Vitória; veja prováveis escalações

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Depois de mais de um mês, o torcedor do Bahia vai poder matar a saudade de ver o time em campo. Ainda não é o grupo principal, mas, às 21h30 desta quarta-feira (22), o tricolor entra em campo com seu time de aspirantes diante da Juazeirense, no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro, pela primeira rodada do Campeonato Baiano.

Para o torcedor que se desligou do futebol após o fim do Brasileirão e só vai voltar a acompanhar o Bahia a partir de hoje, saiba que é com a equipe B que o clube vai disputar o Baianão, enquanto o time principal ficará focado na Copas do Nordeste, do Brasil e Sul-Americana.

O elenco de aspirantes tem o treinador Dado Cavalcanti no comando e, após mais de um mês de pré-temporada iniciada em dezembro, ainda no Fazendão, ele garante que o Bahia está pronto para fazer bonito no estadual.

“As equipes se preparam antes e começam o campeonato muito forte. Os clubes grandes começam com o peso da pré-temporada nas costas. Algumas equipes intermediárias conseguem a manutenção e buscam títulos. Nosso pensamento foi igualar esse tempo, mas sei que as dificuldades que vamos enfrentar independem do tempo de treinamento”, analisa Dado Cavalcanti, antes de completar:  

“Teremos algumas dificuldades que a juventude traz. Inexperiência, alguns nunca vestiram a camisa do Bahia, outros ainda não jogaram profissionalmente. Estamos dando essa oportunidade. Algumas coisas precisarão ser cuidadas durante o processo, mas acredito que estamos de igual para igual”, diz o treinador.

Apesar de optar por disputar o Baiano com uma equipe jovem, o Bahia sabe que vai ter pressão durante o estadual. Atual bicampeão do torneio, o Esquadrão tem a missão de defender a hegemonia no estado e conquistar um tri que não vem há 32 anos. O último tricampeonato data da década de 1980, na sequência de 1986, 87 e 88. 

“A gente não fica com esse negócio de time de transição na cabeça. Entramos em campo para desempenhar o melhor futebol e honrar a camisa do Bahia. Ganhando é o Bahia, não tem isso de time de transição, A, B... Temos que honrar a camisa do Bahia”, garante o goleiro Fernando, que é terceira opção do elenco principal e vai integrar a equipe de aspirantes durante o estadual.

Outro que está ansioso pela estreia é o atacante Saldanha. Aos 20 anos, ele venceu a concorrência com Caíque - titular no ano passado - e vai começar a temporada como a referência do ataque. “A cabeça tem que ficar tranquila, mas o coração quente para fazer uma boa estreia, um bom campeonato. Estamos nos preparando há 45 dias e acredito que tem um pouco de ansiedade, mas a oportunidade é única, uma coisa que a gente sempre esperou, estrear pelo Bahia, que tem uma massa grande. É aproveitar e se divertir em campo, mas com responsabilidade”, afirma o atacante, que marcou um gol durante os amistosos de preparação.

Kanu é a atração da Juazeirense (Foto: Agência CH / Juazeirense)

Kanu na Juazeirense

Além da estreia de Bahia e Juazeirense no Campeonato Baiano, o duelo no estádio Adauto Moraes marca o reencontro entre o zagueiro Kanu e o time tricolor. Em 2018, quando defendia o Vitória, Kanu se envolveu em polêmica ao agredir com socos o meia Vinícius, que jogava no Bahia, durante um Ba-Vi no Barradão. 

Depois da briga generalizada, outra confusão: o clássico que estava 1x1 no campo terminou com o triunfo do Bahia por 3x0 (W.O) após o Leão ter cinco jogadores expulsos e, por causa disso, o árbitro ter que encerrar a partida antes do tempo regulamentar. No tribunal, Kanu foi suspenso por oito jogos e ficou fora da final do estadual, que teve o Bahia como campeão. 

Depois do Ba-Vi da pancadaria, o zagueiro reencontrou o Bahia apenas uma vez, em duelo pelo Brasileirão do mesmo ano. O tricolor voltou a levar a melhor e goleou por 4x1 na Fonte Nova. Depois, Kanu rescindiu o contrato com o Vitória e no ano passado disputou a Série B do Brasileirão pelo Oeste.

Por causa da punição recebida em 2018, Kanu teria que cumprir mais dois jogos no Campeonato Baiano deste ano, mas a pena foi revertida em doações pelo Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD) e o zagueiro está liberado para entrar em campo pela Juazeirense.

O episódio ficou para trás e Kanu pensa agora em fazer bonito em 2020. “Espero que a torcida compareça em peso. Vai ser um jogo difícil contra o Bahia, mas com a força da torcida podemos sair com a vitória”, confia o zagueiro.

Prováveis escalações

Juazeirense: Milton, Alex Travassos, Kanu, Júnior Gaúcho e Wendell; Waguinho, Jhonata, Elcarlos e Clebson; Jeam e Nino Guerreiro. Técnico: Vladimir de Jesus.

Bahia: Fernando, Willean Lepo, Ignácio, Anderson e Mayk; Edson, Ramon e Caio Mello; Gustavo, Saldanha e Gabriel Esteves. Técnico: Dado Cavalcanti.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas