Mais de mil animais de laboratório correm risco de morte por desnutrição na Uefs

bahia
18.04.2012, 17:47:00

Mais de mil animais de laboratório correm risco de morte por desnutrição na Uefs

Os animais estão sem comer há três dias

Da Redação

Cerca de 1.200 animais de laboratório estão correndo o risco de morrer por desnutrição na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). O motivo é a manifestação realizada pelos alunos da instituição. Eles no momento estão bloqueando o biotério e a passagens de pesquisadores responsáveis pela limpeza e alimentação dos animais com tábuas de madeira e sofás.

Segundo a TV Bahia, os animais estão sem comer há três dias. A coordenadora de Biologia da universidade, Marilene Rocha, revelou que os animais vão começar a comer uns aos outros para sobreviver.

“Os animais vão entrar em inanição e eles próprios começam a fazer a autofagia. Mães vão comer os filhotes e isso vai causar um dano sobremaneira”, revelou a coordenadores em entrevista a TV Bahia.

Os protestos acontecem desde a quarta-feira (11). Os alunos protestam contra a má qualidade da comida, a falta de condições de higiene do restaurante, o fechamento de um restaurante particular e pedem também a ampliação do refeitório, além da extensão da gratuidade para todo os estudantes.

Em nota, a Reitoria da universidade diz que “a Administração tem agido no sentido de adequar o serviço, através de ações como a readequação do cardápio, pequenas reformas de adaptação do prédio, elaboração de projeto de ampliação do espaço físico, estabelecimento de comissão de acompanhamento permanente, e aumento da cota diária de refeições subsidiadas a R$ 1”.

Quanto à bolsa alimentação, a Reitoria relata que a reivindicação não é plausível, pois “todos os ‘excedentes’ demandantes que se inscreveram no processo de avaliação e atenderam aos critérios sócio-econômicos de seleção, foram contemplados”.

Na nota, a Reitoria da Uefs declara ainda que está em andamento o processo para abertura de processo licitatório do restaurante.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas