Manaus faz valas comuns em cemitério para enterrar vítimas de coronavírus; veja vídeo

coronavírus
21.04.2020, 18:40:00
Atualizado: 21.04.2020, 18:47:46
Cemitérios públicos de Manaus estão perto do esgotamento com a crise do coronavírus (Amazônia Real/Divulgação)

Manaus faz valas comuns em cemitério para enterrar vítimas de coronavírus; veja vídeo

Prefeito Arthur Virgílio admitiu que o município passa por um 'colapso funerário'; 'A situação está muito crítica', conta coveiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Cemitérios públicos de Manaus, capital do Amazonas, estão perto do esgotamento com a crise do coronavírus. O pico aconteceu no domingo (19), quando 122 corpos foram enterrados na capital. Neste dia, o governo do Amazonas registrou oficialmente três mortes oficiais por covi-19 na capital. O estado tem pelo menos 2.160 confirmações e 185 óbitos. 

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, admitiu que o município também passa por um "colapso funerário". A abertura de novas covas dá-se conforme a demanda, afirma a assessoria da prefeitura, que estima em 60% o aumento do número de enterros até o mês de abril, mas não explica qual é a base de comparação. As informações foram publicados no portal Uol.

Acesse todas as notícias sobre o novo coronavírus

Um agente funerário que trabalha há 30 anos no ramo disse, em reserva, que a cidade se encontra no limiar do uso de covas coletivas. Retroescavadeiras são usadas nos cemitérios no lugar da ação direta dos coveiros. Em acordo com a prefeitura, as funerárias começaram a buscar corpos de falecidos durante a noite nos hospitais e nas casas.

"A gente saiu de uma média de por volta de 30 enterros por dia para um pico de 120. Achávamos que chegaríamos a 90 sepultamentos diários em maio, agora já há quem fale em até 150, 200 por dia. A situação está muito crítica em Manaus", contou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas