Mesmo após retratação, Maurício Souza mantém postagens homofóbicas

esportes
27.10.2021, 15:18:00
Maurício Souza em quadra pelo Minas Tênis Clube (Reprodução/Instagram)

Mesmo após retratação, Maurício Souza mantém postagens homofóbicas

Jogador foi multado e está afastado do Minas após comentários; colegas de equipe criticam as publicações

Mesmo depois de ter publicado uma retratação, Maurício Souza manteve as postagens de teor homofóbico nas redes sociais. As publicações seguem disponíveis no Instagram do jogador de vôlei, que tem mais de 320 mil seguidores. O atleta foi afastado pelo Minas Tênis Clube e terá que pagar multa pelos comentários.

Entre os posts que seguem na conta de Maurício, está a crítica ao anúncio da DC Comics de que o novo Superman, Jon Kent, é bissexual. "Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", ironizou o jogador, com a imagem divulgada pela editora norte-americana do herói beijando um rapaz.

Também é mantido no perfil uma reclamação sobre a decisão da TV Globo de usar pronome neutro nas novelas, em respeito a pessoas que preferem não se identificar a um gênero específico, além de uma crítica a uma placa na frente de um banheiro que menciona a identidade de gênero.

Na última terça-feira (26), Maurício Souza veio a público se retratar sobre as postagens, pouco depois de ser afastado pelo Minas Tênis Clube. Inicialmente, o jogador pediu desculpas em seu perfil no Twitter, no qual tinha menos de 50 seguidores no momento da publicação.

"Pessoal, após conversar com meus familiares, colegas e diretoria do Clube, pensei muito sobre as últimas publicações que eu fiz no meu perfil. Estou vindo a público pedir desculpas a todos a quem desrespeitei ou ofendi, esta não foi minha intenção", afirmou. "Tenho refletindo muito e reitero minhas desculpas pelo posicionamento", prosseguiu.

O post foi republicado pelo perfil oficial do Minas, que tem quase 50 mil seguidores. O clube reiterou sua mensagem: "O Minas Tênis Clube reforça que não aceita e não aceitará manifestações intolerantes, racistas, preconceituosas e homofóbicas, e que intensificará campanhas internas em prol da diversidade, respeito e união, por serem causas importantes e alinhadas com os valores institucionais".

Nesta quarta-feira (27), o jogador usou o Instagram, onde teceu os comentários homofóbicos, e pediu desculpas por "defender o que acredita".

O afastamento de Maurício aconteceu após pressão dos dois principais patrocinadores da equipe de vôlei masculino do Minas, a montadora Fiat e a produtora de aço Gerdau.

Colegas criticam jogador

Três jogadores que atuam com Maurício no Minas vieram a público criticar os comentários homofóbicos do central. O líbero Maique, o levantador William e o ponteiro Henrique Honorato usaram suas redes sociais para se posicionar contra as opiniões do colega.

Segundo o Uol, William, que é capitão do time, apresentou uma carta à diretoria do clube, em defesa à "liberdade de expressão" de Maurício, e que, caso ele fosse demitido, todos também sairiam da equipe. O documento teria sido assinado por todo o elenco. Ele, porém, negou ter criado o movimento.

"Essa carta não foi escrita ou assinada por mim, trata-se de uma noticia falsa veiculada indevidamente. Não compactuo com o posicionamento do Maurício Souza, sou contrário à [sic] manifestações preconceituosos, homofóbicas ou racistas. Construí minha carreira nesses trinta anos com muita disciplina e suor, sempre respeitando as diferenças. Nunca me envolvi em polêmicas, por preservar meus filhos e minha família, que é o bem mais precioso que conquistei", escreveu o campeão olímpico na Rio 2016 junto com Maurício Souza.

Maique e Henrique Honorato também negaram ter assinado a carta.

"Calma gente. Eu não assinei nada! E isso não me inclui. E continuo lutando pelos meus direitos e de nossa comunidade e de todo e qualquer tipo de preconceito. Isso que estão espalhando de eu apoiar algo é fake. E claro tem coisas que não compactuo e não aceito. E isso quem deve resolver é clube e não diz respeito a mim! E já deixei claro minha posição sobre. Agora eles que se entendam", escreveu Maíque.

"Está aqui meu posicionamento, em relação ao clube e nosso companheiro de equipe, isso é algo que eles tem que resolver. Não há nada que eu possa fazer. E passar o pano também não vou porque é algo grave! Homofobia não é opinião", completou o jogador, em sua conta no Instagram.

"Eu, Henrique Honorato, atleta do Fiat Gerdau Minas, não compactuo com homofobia ou qualquer tipo de preconceito, acredito na igualdade e venho a público dizer que não assinei nenhuma carta", publicou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas