Messi deixa de ser o jogador argentino mais valioso após 15 anos

esportes
04.07.2022, 19:18:47
(Reprodução/Twitter)

Messi deixa de ser o jogador argentino mais valioso após 15 anos

Aos 35 anos, o jogador do PSG é avaliado em 50 milhões de euros, segundo site especializado

O craque argentino Lionel Messi passou quase duas décadas como o jogador mais valioso do seu país. Mas após 15 anos no topo dessa lista, o atacante do Paris Saint-Germain foi ultrapassado e agora é o segundo argentino mais caro. A lista, elaborada pelo site Transfermarkt, especializado no mercado de transferências, atualizou o valor de mercado de Lionel Messi, que agora aponta 50 milhões de euros (277 milhões de reais).

A primeira posição ficou com o atacante da Inter de Milão, Lautaro Martínez, que tem 24 anos. O centroavante da equipe italiana é avaliado em 75 milhões de euros, ou 416 milhões de reais, e se tornou o líder do ranking.

No top 5 dos mais valiosos, ainda estão o zagueiro Cristian Romero, do Tottenham, avaliado em 48 milhões de euros, e a dupla do Atlético de Madrid: Ángel Correa (45 milhões) e Rodrigo De Paul (40 milhões).

A lista do Transfermarkt ainda conta com o meia Paulo Dybala, que saiu da Juventus nesta temporada, e o goleiro Emiliano Martínez, do Aston Villa. 

Veja o top 10 de argentinos mais valiosos do futebol (em euros)

1) Lautaro Martinez: 75 milhões

2 ) Lionel Messi: 50 milhões

3 ) Cristian Romero: 48 milhões

4) Ángel Correa: 45 milhões

5) Rodrigo de Paul: 40 milhões

6) Paulo Dybala: 35 milhões

7 e 8) Emiliano Buendía e Lisandro Martínez: 32 milhões

9) Emiliano Martínez: 28 milhões

10, 11, 12 e 13) Lucas Ocampos, Guido Rodríguez, Juan Foyth e Nicolás González: 25 milhões

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas