Messi na Fonte Nova: cabeçada para fora e atuação bem apagada

esportes
15.06.2019, 22:40:00
Atualizado: 15.06.2019, 23:50:05
Messi só teve uma chance de marcar na Fonte Nova (Mauro Akin Nassor / CORREIO)

Messi na Fonte Nova: cabeçada para fora e atuação bem apagada

Camisa 10 parou na marcação e, assim como CR7, não brilhou em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


O primeiro toque na bola de Lionel Messi na Fonte Nova foi errado: um passe equivocado que parou nos pés de um adversário. Naquele minuto inicial de jogo, quem estava na arquibancada – argentino, brasileiro ou colombiano – certamente pensou: 'Nada demais, daqui a pouco ele acerta'.

Que nada. Nos minutos seguintes o camisa 10 continuou errando. Erro, erro, erro. E assim, aos poucos, risco a risco, a breve história de Lionel Messi na arena dos baianos foi se desenhando de maneira bem parecida à do seu eterno rival pelo posto de melhor do mundo, Cristiano Ronaldo.

Sim. Assim como há cinco anos, quando por aqui jogou Cristiano Ronaldo em Portugal x Alemanha, a Fonte Nova não deu sorte aos maiores gênios do futebol dessa geração.

Saíram, ambos, derrotados. A Argentina estreou na Copa América perdendo de 2x0 para a Colômbia na Fonte Nova neste sábado (15). E CR7 tomou um 4x0 no Mundial de 2014.

Voltemos a 2019. O 'erro, erro, erro' depende muito do ponto de vista. A maioria dos presentes à Fonte Nova enxergou de outra maneira: 'acerto, acerto, acerto'. Lionel Messi jogou em ambiente inóspito, dentro e fora da 'cancha'.

Em campo, Wilmar Barrios e Mateus Uribe se revezavam na marcação do camisa 10. Quando passava por estes volantes, outra dupla – os zagueiros Yarry Mina e Davinson Sánchez – apareciam. Se caísse pelos lados, encarava Stefan Medina, na direita, e William Tesillo, na esquerda, inspirados.

Nas arquibancadas da Fonte Nova a maioria era colombiana. O amarelo da camisa da 'tricolor' era bem mais proeminente que o branco e o celeste da Argentina. A Colômbia jogava em casa. E estes 'hinchas' fizeram toda a diferença. A cada erro do gênio, a cada desarme bem feito sobre ele, a vibração do estádio.

Mas, convenhamos, não era qualquer um que estava ali. Era Lionel Messi, caramba! E por isso o mais colombiano dos colombianos deu aquela levantada quando o camisa 10 se posicionou para cobrar um escanteio. Claro: registrar no celular o craque ali, tão pertinho, era uma chance imperdível.

Messi teve duas chances de ouro, ambas na segunda etapa. Aos 9 minutos arrancou bem ao seu estilo em direção ao gol, passando a bola entre as pernas de Sánchez, mas parou em Barrios, que chegou rasgando para afastar o perigo.

A melhor foi aos 20 – essa imperdoável. Aguero cruzou na área, Otamendi cabeceou e Ospina pegou. No rebote ela subiu numa medida certa: 169 centímetros do chão, a altura de Messi. O camisa 10 testou para fora, raspando a trave.

Esses dois lances foram tudo o que Messi produziu na Fonte Nova. Algumas faltas cobradas aqui e acolá a mais ou a menos, dá para concluir: foi bem pouco.

Assim, Messi deu o pontapé para a sua quinta Copa América da carreira. Em três das quatro anteriores o gênio acabou com o vice-campeonato: 2007, 2015 e 2016. Por conta disso, ele chega aos 31 anos sem nunca ter conquistado um título pela Argentina.

Veremos o que a Copa América 2019, no Brasil, dirá. Na quarta-feira (19) o gênio jogará no Mineirão, diante do Paraguai. Por enquanto, não volta para a Fonte Nova.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pf-cumpre-mandados-contra-quadrilha-que-fraudou-mais-de-r-4-milhoes-do-inss/
O grupo é investigado por, pelo menos, 80 benefícios previdenciários suspeitos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/5-filmes-que-voce-deve-assistir-para-apreciar-as-trilhas-de-ennio-morricone/
Compositor, que morreu aos 91 anos, era grande nome da música no cinema
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rapper-baiano-hiran-lanca-segundo-disco-galinheiro/
Disco tem participações especiais de Tom Veloso, Majur e outros artistas
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/serie-baiana-que-revela-salvador-sombria-ja-esta-disponivel-no-amazon-prime/
Produção tem roteiro e direção de Julia Ferreira, baiana que estudou cinema em Londres e Madri
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/netos-de-luiz-gonzaga-divulgam-nota-de-nojo-por-uso-de-musica-em-live-de-bolsonaro/
Jair Bolsonaro convidou o presidente da Embratur para tocar durante a live da última quinta
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/moradores-da-lapinha-falam-ao-contrario-e-tem-um-dialeto-o-gualin/
Há meio século, falar ao contrário é considerado sinal de pertença para os moradores “raiz” do bairro da Lapinha
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/elza-soares-aos-90-e-cheia-de-projetos/
Cantora lança releitura de 'Juízo Final' e faz live neste sábado (4), com participação de Flávio Renegado
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/como-tratar-a-dor-da-chikungunya-entenda-fases-da-doenca/
Registro de casos aumentou 440% na Bahia nos últimos seis meses; sintoma pode se tornar crônico e durar anos
Ler Mais