Metrô? Só na boca da Copa do Mundo de 2014

salvador
12.08.2011, 06:58:00
Atualizado: 12.08.2011, 07:02:01

Metrô? Só na boca da Copa do Mundo de 2014

Projeto mantém trilhos. Orçamento e prazos ficam mais apertados

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Priscila Chammas | Redação CORREIO
priscila.chammas@redebahia.com.br

Lembra do sistema de transporte anunciado pelo governo do estado em junho, para a Copa do Mundo? Esqueça. Ontem foi apresentado um novo resultado da Proposta de Manifestação de Interesse (PMI), agora com a anuência da prefeitura e, de acordo com o governo estadual, da presidente Dilma Rousseff.

Pelo novo cronograma, a obra só será entregue em junho de 2014. Vale lembrar que a Copa do Mundo começa em 12 de junho. “O prazo é apertado, mas viável. Das sete empresas que apresentaram propostas, seis garantiram que 24 meses é tempo suficiente”, explicou Alberto Valença, secretário executivo da Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan).   



Do anúncio antigo, só foram mantidos os trilhos na  Paralela, que agora foram definidos pelo metrô.  A chamada linha 2 do metrô terá 22 quilômetros, ligando Lauro de Freitas ao Acesso Norte, onde será integrado com a linha 1, em construção há 12 anos. 

A linha 1 continua sob responsabilidade da prefeitura, e a linha 2 custará em torno de R$ 1,6 bilhão, pelos cálculos do governo. Outros R$ 800 milhões  serão gastos em outras obras complementares, totalizando R$ 2,4 bilhões - teto do PAC Mobilidade.

A verba, o secretário estadual do Planejamento, Zezéu Ribeiro, garante que chega. “Não tem papel assinado, mas tem compromisso político”, disse, referindo-se à conversa que o governador Jaques Wagner (PT) teve com a presidente Dilma na semana passada.

BRT
O mesmo não se pode dizer dos R$ 567 milhões do PAC da Copa, aprovados para o sistema BRT e com os quais se contava no primeiro resultado do PMI. “O contrato com a Caixa Econômica tinha como objeto o BRT. Vamos ter que renegociar”, explicou o secretário da Casa Civil municipal, João Leão.

Por falar em BRT, é capaz que o transporte dos sonhos do prefeito João Henrique  (PP) nunca chegue a rodar. É que os R$ 800 milhões que sobram do metrô darão para modernizar os trens do Subúrbio Ferroviário e construir apenas três vias: as ligações Calçada-Retiro, Bairro da Paz-Cajazeiras (29 de Março) e Pituba-Iguatemi. 

“É possível que nessas vias sejam implantados corredores de BRT, mas isso ainda não foi definido. Temos que ver se há interesse das empresas em administrar um BRT”, diz o diretor executivo da Seplan, Alberto Valença. Segundo ele, o sistema de ônibus poderá continuar como está.

Cajazeiras 
A extensão do metrô até Cajazeiras, prometida pelo governador, também não tem previsão pra acontecer. “A gente quer fazer, mas temos uma limitação de verba”, justificou Zezéu. “É uma intenção a longo prazo”, emendou Valença.  Também fazem parte do setor de “boas intenções” uma ligação da Lapa até a Pituba e a continuação da avenida Gal Costa, ligando Pituaçu a Pirajá.

O projeto é um mix de propostas do estado e da prefeitura. Agora que as duas esferas finalmente se entenderam, o projeto final enfim começará a ser elaborado. A previsão é que ele fique pronto até o final de outubro, quando terá início o processo de licitação para construção e operação do sistema. As obras, que antes se estimava que fossem iniciadas em janeiro do ano que vem, agora têm outro prazo: abril ou maio. 

TRENS  
A empresa escolhida para integrar a parceria público privada (PPP), com concessão de 25 anos, também terá que arcar com uma parte dos custos e será obrigada a gerir também os trens do Subúrbio.

“Será um sistema integrado, linhas 1 e 2 do metrô, mais os trens”, explicou Leão. Ele diz que, com a modernização, os veículos serão transformados em VLT (Veículo Leve sob Trilhos), mas Valença explica que não é bem assim.

 “Veja bem, ele está chamando assim porque o nome é bonito, mas não vai ser VLT. Os veículos serão reformados, o sistema requalificado, mas os trens vão continuar pesados”, diz o secretário. Ele estima que, com a modernização, os veículos atinjam 80 km/h, mesma velocidade do metrô. As obras custarão
R$ 212 milhões.  

Novo metrô ajudará ‘irmão mais velho’
O governador Jaques Wagner disse que o novo metrô vai nascer para ajudar o irmão mais velho, da Bonocô, a dar seus primeiros passos.  O problemático metrô pré-adolescente é o menor e mais caro do país, alvo de denúncias e processos. Em 2009, a Polícia Federal encontrou indícios de corrupção, o que originou um processo no Ministério Público Federal e uma CPI na Assembleia Legislativa.

Por conter escutas telefônicas, o Supremo Tribunal de Justiça considerou as provas ilegais e o processo passou a correr em sigilo. Então, o Tribunal de Contas da União pediu que o Exército reforçasse a obra, mas o resultado não foi apresentado.

CUSTOS DAS OBRAS
- 1,6 bilhão de reais é quanto o governo calcula gastar só com a obra do metrô na Paralela. Ainda terá verba da iniciativa privada.
- 800 milhões de reais é quanto sobra para as outras obras, se o governo conseguir o teto do PAC Mobilidade, que é de R$ 2,4 bilhões.
- 567 milhões de reais é o valor do PAC Copa, aprovado para a
implantação de BRT. O governo parou de contar com esse dinheiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas