Meu Domingo: Livia Nery convida para conhecer a cidade

entretenimento
14.07.2019, 05:50:00
Livia Nery lançou no mês passado o álbum Estranha Melodia (Foto: Caroline Bittencourt/divulgação)

Meu Domingo: Livia Nery convida para conhecer a cidade

Cantora e compositora indica quatro programas especiais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

1. Painéis de Carybé no Mafro - Os 27 painéis de Carybé com diferentes orixás são uma coisa preciosa que existe na nossa cidade. Quando vi pela primeira vez foi por acaso, visitando o Museu Afro-Brasileiro depois de um rolé de bicicleta que sempre costumava fazer pelo centro. O museu é importante de se ver e a sala dos painéis é uma grata surpresa no final. Entalhados na madeira, revelam a maestria desse artista e sua leitura especial do sagrado afro-brasileiro. 

2. Almoçar no aconchego da Zuzu: No fim de linha do Garcia fica o Aconchego da Zuzu. Dia de domingo tem comida baiana e música no  restaurante que existe no quintal da casa dessa matriaca. Embora não esteja mais viva, sua familia preserva o aconchego, abrindo as portas desse lugar que é um retrato de uma Salvador valiosa. 

3. Rolé de bike pelo centro: o centro de Salvador é muito bom para pedalar dia de domingo. Fica vazio, dá pra sacar bem as ruas, casarões e prédios. com um pouco de pesquisa e sensibilidade, você encontra lugares significativos, que ainda pulsam suas história. A barroquinha é um bairro antigo, pantanoso no passado, onde vivia uma população negra liberta. Atrás da igreja havia um antigo terreiro cercado de mistério, onde hoje foi construído um estacionamento. Ou seja, a memória da cidade ainda não foi preservada e contada para os baianos e visitantes da maneira devida. Mais um motivo para que o cidadão soteropolitano desperte curiosidade de desvendar os lugares de sua cidade.

4. Porto de noite - O porto da Barra no domingo é um metro quadrado bastante disputado... em dias de sol, principalmente. Mas o mergulho noturno é uma experiência supergostosa e muito mais vazia. Normalmente a água está quentinha e se tem lua fica melhor ainda. No meu disco tem uma música que se chama "Ave Sal" e que de certa forma narra essa experiência. Fica o convite para escutarem antes do mergulho. [

* Colaborou com o CORREIO

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas