Mochilas com 27 kg de cocaína são encontradas em praia de Salvador

salvador
18.05.2021, 16:25:00
Atualizado: 25.05.2021, 16:45:54

Mochilas com 27 kg de cocaína são encontradas em praia de Salvador

Esse é o quarto caso na Bahia em uma semana e o primeiro na capital

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Vinte e sete quilos de pasta base de cocaína foram encontrados em uma mochila por integrantes da Colônia de Pescadores da Boca do Rio, em Salvador, na manhã desta terça-feira (18). O material foi apreendido por equipes da 39ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM). É a quarta vez que mochilas com a droga são encontradas em praias da Bahia em uma semana.

(Foto: Reprodução)

Por volta das 7 horas, a viatura da unidade passava pelo local quando foi parada pelos pescadores. “Eles nos contaram que a sacola estava boiando e desconfiaram do material. Quando abriram a mochila, encontraram as drogas e, rapidamente, informaram a polícia”, contou o comandante da 39ª CIPM, major Márcio Alcântara.
 
Divididos em 26 tabletes, os entorpecentes foram encaminhados para a perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT), que auxiliará nas investigações para identificar os proprietários, de acordo com o delegado Yves Correia, titular da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) de Salvador.
 
Casos semelhantes no sul da Bahia
Isso também ocorreu nesta segunda (17) no município de Belmonte, onde 30 kg da mesma droga foram descobertos nas praias. Caso parecido foi relatado por equipes da 89ª Companhia do município de Mucuri, na última sexta-feira (14), quando encontraram duas mochilas nas areias da praia de Pau Fincado, no município de Nova Viçosa. Dentro delas foram apreendidos 46 tabletes de pasta base de cocaína, avaliados em pouco mais de R$ 1 milhão e pesando cerca de 50 quilos.
 
Dois dias antes, cerca de 20 kg da mesma droga foram encontrados na praia de Trancoso, em Porto Seguro. A droga foi achada por banhistas e entregue à Polícia Militar, que apresentou o material à Polícia Civil.

Verão da Lata
Apesar de ainda não haver solução para o mistério, os casos remetem a outro que já foi solucionado há 34 anos. Em setembro de 1987, 18 latas que aparentavam ser de leite em pó foram encontradas boiando próximas ao litoral de Maricá, no Rio de Janeiro, a cerca de 60 quilômetros da capital. Pescadores locais entregaram o carregamento para a Polícia Militar, e ficou comprovado depois que cada uma delas continha aproximadamente 1,5 kg de maconha. 
 
Já no final de agosto, a Polícia Federal do Rio havia recebido um comunicado dos EUA de que um navio, que vinha da Austrália, estava no litoral do Rio de Janeiro carregando 22 toneladas de maconha, que seriam depois repassadas para outros dois barcos com destino a Miami.  A tripulação descobriu que o barco estava sendo procurado e despejou todo a carga no mar. 
 
Em 20 de setembro, diversas latas começaram a ser encontradas no litoral do Rio de Janeiro e de São Paulo. No total, foram cerca de 15 mil latas achadas. 
 
O caso ficou conhecido como “Verão da Lata” e levou para a prisão apenas um tripulante, o cozinheiro Stephen Skelton, que, apesar de ter sido condenado a 20 anos de cadeia, permaneceu na prisão por apenas um ano. Não havia como provar a relação de Skelton com as latas encontradas no litoral. A história completa é contada pelo jornalista carioca Wilson Aquino no livro “Verão da Lata”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas