Moradores queimam ônibus em protesto contra PM no Jardim das Margaridas

salvador
14.09.2018, 12:31:00
Atualizado: 14.09.2018, 17:13:45
Local onde ônibus foi queimado (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Moradores queimam ônibus em protesto contra PM no Jardim das Margaridas

Jovem foi morto em ação policial no bairro; moradores dizem que ele era inocente

Cerca de 50 moradores da Rua Joaquim Ferreira, no bairro Jardim das Margaridas, em Salvador, realizaram um protesto na manhã desta sexta-feira (14) após a morte de Jairo Pereira, 26 anos, que residia no bairro. Moradores disseram ao CORREIO que a vítima tinha síndrome de Down. O protesto começou por volta das 9h30, próximo a um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida, e acabou com um ônibus incendiado. 

De acordo com a Superintendência de Trânsito (Transalvador), os manifestantes fecharam a via, que só foi liberada por volta das 12h. 

Os moradores afirmam que Jairo, que acabou morto a tiros por policiais militares, não tinha envolvimento com o crime. "Ele era inocente. Usava remédio controlado. Não era bandido. A polícia já chegou aqui atirando", disse um dos moradores, em contato com o CORREIO. 

A Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) informou, em nota, que apura, através das polícias Civil e Militar, a queima do ônibus no Jardim das Margaridas, e afirma que o homem morto era ligado ao tráfico de drogas e que chegou a trocar tiros com a PM.

"Na noite de quinta-feira (13), um traficante morreu em confonto com forças de segurança, naquela localidade, e os fatos podem ter relação. Com o criminoso foram apreendidos revólver, munições e porções de maconha. O policiamento foi reforçado", afirmou o comunicado da SSP-BA. 

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

O diretor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, afirmou que a circulação de ônibus no bairro está suspensa por tempo indeterminado, diante da situação de insegurança. O último ponto final de parada dos coletivos foi transferido. 

“O Sindirodoviários tomou uma decisão junto com a Semob [Secretaria Municipal de Mobilidade] e a Secretaria de Segurança Pública de suspender a circulação de ônibus no bairro. A gente só vai rodar até o início, onde fica o primeiro ponto. O retorno dos coletivos depende da segurança no local e a gente não sabe ainda quando vai acontecer. A gente depende da instalação de uma base policial fixa no bairro”, declarou Mota.

Sem energia
Em nota, a Companhia Elétrica do Estado da Bahia (Coelba) informou que por causa do incêndio no ônibus, oito consumidores estão com o fluxo de energia interrompidos. "A Coelba vai precisar trocar 80 metros de cabos, que foram danificados, e a previsão de conclusão e retomada do serviço é de 3 horas. Foi necessário esperar a remoção do ônibus para, só depois, os técnicos poderem começar a trabalhar", informou a companhia, em nota.