Morre baiana Martha Rocha, a primeira Miss Brasil da história, aos 83 anos

entretenimento
05.07.2020, 18:01:00
Atualizado: 05.07.2020, 19:02:38

Morre baiana Martha Rocha, a primeira Miss Brasil da história, aos 83 anos

Nascida em Salvador, símbolo de beleza dos anos 1950 e 1960 faleceu em Niterói, no Rio de Janeiro, e deixa três filhos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A soteropolitana e primeira Miss Brasil da história, Maria Martha Hacker Rocha, conhecida como Martha Rocha, morreu aos 83 anos em Niterói, no Rio de Janeiro, neste sábado (4). A causa da morte, segundo Álvaro Piano, um de seus três filhos, foi insuficiência respiratória, seguida de um infarto. O enterro aconteceu na manhã deste domingo (5), no Cemitério do Santíssimo Sacramento.

A eleição de Martha aconteceu na primeira edição do concurso, em 1954, quando tinha apenas 18 anos. O evento aconteceu no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, na região serrana do Rio. Em seguida, disputou o prêmio de Miss Universo e conseguiu a segunda colocação na disputa. 

Perdeu para a americana Miriam Stevenson. Na época, a votação foi acirrada. Muitos norte-americanos afirmaram que escolheriam Martha como vencedora. O então consul brasileiro em Los Angeles, Roberto de Oliveira Campos afirmou: "Uma esplêndida propaganda do Brasil nos Estados Unidos."

Logo depois da competição, um boato circulou de que a derrota teria sido por duas polegadas na medida do quadril, mas a própria Martha desmentiu o fato.

A conquista do posto rendeu um comunicado especial ao povo de São Paulo, em recado de Martha transmitido pelo jornal Estadão no dia 28 de julho de 1954. "Sinto-me imensamente feliz pelo título obtido. Não fui eu quem o ganhou, mas a beleza da mulher brasileira que tentei representar."

Vale ressaltar que, além da baiana, apenas outras sete brasileiras alcançaram o top três do concurso mundial em toda a história. 

'Namorada do Brasil'
"Martha Rocha teve uma grande responsabilidade naquele momento, pois era o único motivo de orgulho do Brasil. O país acabava de ser eliminado da Copa do Mundo de Futebol e vivia a crise do governo Vargas com o crime na Rua Tonelero, em Copacabana. Vivíamos o auge do nacionalismo", lembra o jornalista e coordenador do Miss Brasil 2020 Roberto Macedo, em entrevista ao CORREIO.

Segundo Macedo, em Long Beach, na Califórnia, sede do Miss Universo, Martha se transformou na grande favorita. "Mas perdeu, ficando em segundo lugar. E perdeu logo para uma norte-americana... A partir de então Martha Rocha se transformou na 'Namorada do Brasil' e tudo o que era belo passou a ter o seu nome: a maior água marinha descoberta, uma deliciosa torta que existe até hoje, uma caminhonete lançada pela Ford, um trem, um tecido. Ou seja, Martha Rocha trouxe de volta a esperança e o orgulho nacional. E isso não tem preço, é inesquecível", destaca.

O jornalista Artur Xexéo reforçou que, após vencer o concurso de miss, Martha passou a ser acompanhada por admiradores e pela imprensa como uma celebridade. "Foi um acontecimento mesmo. Quando ela casou, quando separou, quando ela aparecia numa festa, todas as atenções se voltavam para ela e era notícia no dia seguinte", pontuou.

Lembranças
Ao portal G1, Álvaro lembrou dos últimos anos de vida da mãe: "A vida dela foi muito sofrida nos últimos anos, ela estava acamada há muito tempo e não conseguia andar. Morreu sem muito sofrimento. Ela já estava cansada. Rodeado de pessoas que cuidavam dela. Esses últimos meses a gente só se falava através de contatos telefônicos. Sinto falta da minha mãe, mas ela descansou", disse.

Martha Rocha, a primeira Miss Brasil morre no Rio de Janeiro
(Foto: Acervo Estadão Conteúdo)

Além de Álvaro, ela também teve Carlos Alberto Piano, filhos que são fruto do relacionamento dela com um banqueiro português, também chamado Álvaro Piano, que morreu em um acidente de avião. Após um tempo na europa, retornou ao Brasil com 23 anos, e se casou com Ronaldo Xavier de Lima, com quem teve sua caçula, a artista plástica Cláudia Xavier de Lima. 

Décadas depois, em 1995, Martha alegou que perdeu todo o seu dinheiro para o irmão de seu marido falecido, Jorge Piano. No ano passado, fez uma postagem onde dizia que, depois da fuga do ex-cunhado com o dinheiro, “superei meus problemas com suporte de meus dois filhos, duas amigas e o meu trabalho honrado, vendendo os quadros pintados por mim, e ganhando cachê para divulgar o concurso Miss Brasil”. 

O filho Álvaro contou das lembranças que ficarão da mãe. “Fica na memória uma pessoa que, apesar da fama toda, ela era super simples, brincalhona, moleca. Adorava natureza, planta e os animais, amiga de todos. Viveu 12 anos em Volta Redonda [onde morava em um lar de idosos, como foi revelado pela própria Martha] perto do meu irmão. Saiu de lá porque a saúde dela começou a se deteriorar. Trouxe ela para Niterói há 6 anos”, comentou.

Amigos lamentaram a morte
Miss Brasil em 1986, Deise Nunes  lamentou a perda da colega de passarela em entrevista à GloboNews. "Uma grande referência para todas as misses. Hoje, com certeza, o "mundo miss", que é um mundo gigantesco de pessoas que gostam dos concursos de beleza e que têm uma simpatia enorme por Martha Rocha, hoje todo mundo se sente um pouco órfão, enlutado, com a perda dessa grande mulher", declarou Deise.

Deise conta ainda que a beleza de Martha chamava muita atenção em todos os lugares: "Uma mulher belíssima, com uns olhos maravilhosos. Esses olhos quando chegavam eles iluminavam esses lugares por onde passavam. Eu tive a felicidade e o privilégio de conhecê-la num baile de carnaval e depois nós estivemos juntas em São Carlos, no interior de São Paulo, onde pudemos conversar mais.

Em uma de suas lembranças, Deise conta que ficou hipnotizada quando viu Martha pela primeira vez. "Martha sempre foi um mulher encantadora. E me lembro que a primeira vez que vi Martha Rocha eu fiquei parada na frente dela, olhando, quase que não acreditando que eu estava na frente daquela mulher que tinha sido miss Brasil e que, por pouco, não foi Miss Universo", relembrou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas