Morre taxista atingido por bala perdida no Nordeste de Amaralina

salvador
06.02.2019, 12:44:00
Atualizado: 06.02.2019, 19:17:57

Morre taxista atingido por bala perdida no Nordeste de Amaralina

Osmário estava internado no Hospital Geral do Estado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Trinta dias após ser atingido por uma bala perdida, morreu na manhã desta terça-feira (6) o taxista Osmário Rodrigues da Silva, 67 anos. Ele estava internado no Hospital Geral do Estado (HGE) desde o dia que foi baleado  durante uma troca de tiros entre policiais e traficantes no Complexo do Nordeste de Amaralina

Segundo João Adorno, presidente da Comissão dos Taxistas, na ocasião Osmário foi atingido no peito quando estava chegando em casa depois do trabalho. O taxista Marco Antônio Rodrigues da Silva, 55, que foi ferido na coxa direita no mesmo dia, já recebeu alta do HGE.  

Osmário estava internado no Hospital Geral do Estado 
Foto: Reprodução

Adorno destacou que, somente este ano, quatro taxistas foram atingidos por disparos de arma de fogo -  Osmário e Marco não estavam em serviço no momento em que foram feridos. O sepultamento do será nesta quinta (7), às 10h, no Cemitério Campo Santo, no bairro da Federação.

Só no ano passado, de acordo com a Associação Geral dos Taxistas (AGT), três taxistas foram baleados na região do Nordeste de Amaralina. Um dele teve sua casa invadida por PMs e os outros dois foram alvejados durante trocas de tiros. "Foi uma fatalidade. Chegaram atirando sem cuidado, mas sempre quem sofre é o trabalhador", disse o presidente Ademilton Paim.

De acordo com a AGT, de janeiro até esta quarta-feira (6) 28 taxistas foram assaltados na capital baiana. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas