Mostra Tiradentes tem programação musical, filmes infantojuvenis e ficção científica

entretenimento
21.01.2021, 08:50:00
Atualizado: 21.01.2021, 09:16:58
Arrigo Barnabé faz show na abertura, sexta-feira, 22 (divulgação)

Mostra Tiradentes tem programação musical, filmes infantojuvenis e ficção científica

Arrigo Barnabé (foto) faz show de abertura do festival mineiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Mostra Tiradentes reúne 12 “submostras”, dedicadas a diversos temas. A Mostrinha, por exemplo, é voltada para o público infantojuvenil. Nela, há animações como Napo, sobre um menino que desenha para estimular as lembranças do avô, que está perdendo a memória. Tem também live actions como O Menino e o Ovo, em que uma criança que mora em Cuiabá tenta provar que é possível fritar um ovo no asfalto.

A Bahia está presente também na Mostra Olhos Livres, com Voltei!, da dupla Ary Rosa e Glenda Nicácio, a mesma de Café com Canela. O filme se passa em 2030 e mostra as irmãs Alayr e Sabrina, que, num radinho de pilha, ouvem o julgamento que pode mudar os rumos do país. Elas são surpreendidas por Fátima, a irmã que volta dos mortos para confraternizar nessa noite histórica. 

Tem também a Sessão da Meia-Noite, dedicada ao cinema de gênero, com destaque para o horror e a ficção científica, que não costumam ter espaço no circuito comercial. Pode, portanto, ser uma chance única de assistir a essas produções. 

Skull: a Máscara de Anhangá conta a história de um objeto místico que porta uma entidade que começa a cometer assassinatos. É o segundo longa de Armando Fonseca e Kapel Furman. Em O Cemitério das Almas Perdidas, um jesuíta, por influência do livro de São Cipriano, empreende a violência e maldade no Brasil colonial. Amaldiçoados em um cemitério onde ficam presos, voltam séculos para espalhar o terror no mundo. É o sexto longa-metragem de Rodrigo Aragão.

A programação inclui ainda mais de 20 debates sobre cinema, sendo que alguns têm a participação de cineastas com filmes exibidos na edição deste ano. Entre os temas dos debates, estão: Processos Artísticos e Criação de Personagens; Fotografia e Mise-en-scène; O Cinema Como Intervenção Política; Processos e Fundamentos da Criação e A Poética do Cinema de Gênero.

Há ainda artistas que vão realizar shows, como resultado de uma parceria entre a Mostra Tiradentes e o Sesc de Minas. Na abertura, às 22 horas, Arrigo Barnabé abre a programação musical. E, no decorrer da Mostra, Chico César, Fernanda Abreu e Adriana Araújo vão se apresentar.

“Mesmo em formato digital, o evento mantém suas características. Assim, tanto o público já habituado com a Mostra Tiradentes, quanto aqueles que nunca puderam ir ao evento, poderão desfrutar de uma vasta programação gratuita”, diz a coordenadora geral da Mostra, Raquel Hallak. 

De sexta-feira (22) até dia 30, no site mostratiradentes.com.br. Grátis
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas