Najila deixa delegacia carregada por advogado e vai para hospital

esportes
07.06.2019, 18:53:39
Atualizado: 07.06.2019, 19:00:37
(Foto: Nelson Almeida/AFP)

Najila deixa delegacia carregada por advogado e vai para hospital

Modelo baiana se sentiu mal ao prestar depoimento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A modelo Najila Trindade prestou depoimento nesta sexta-feira (7) durante quase seis horas na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo.

A autora de denúncia de estupro e agressão contra o jogador Neymar teve dificuldades para falar, interrompeu as respostas várias vezes e, após passar mal, deixou o local carregada e foi levada ao Hospital Cidade Dutra.

Após não comparecer para depor em outras quatro ocasiões, Najila foi à delegacia pela manhã, onde chegou com quase uma hora de atraso.

A modelo compareceu à delegacia por volta das 11h55, trazida por um carro da polícia e cercada de segurança. Ela desceu do veículo com o rosto coberto e foi acompanhada tanto por advogados como por testemunhas, como a empregada doméstica.

Durante o depoimento na delegacia, Najila demonstrou estar muito emocionada e, em alguns momentos, teve dificuldade para relatar o episódio.

A pedido da delegada, Juliana Bussacos, na sala do depoimento estavam presentes somente mulheres, para deixar a possível vítima mais à vontade. Fora a própria modelo, presenciaram a oitiva duas delegadas e uma escrivã. 

Entre as questões, Najila teve de responder se havia autorizado a divulgação de suas fotos íntimas e também se elas haviam sido enviadas para mais alguém.

No decorrer da conversa, a modelo se queixou do estresse psicológico e disse estar com pressão baixa. Durante a tarde, funcionários da delegacia chegaram a comprar comida em uma padaria próxima para que Najila pudesse se alimentar.

Na hora da saída, por volta das 18h, a modelo saiu da delegacia carregada no colo pelo seu advogado, Danilo Garcia de Andrade, e não deu entrevistas.

Colocada em um carro da polícia com sirene ligadas, Najila foi conduzida a um hospital público para que pudesse melhorar. O local foi escolhido pois o advogado dela tem um amigo médico que trabalha no local.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas