'Não existe treinador sem treinar', critica técnico do Jacobina

esportes
22.07.2020, 17:33:00
Atualizado: 22.07.2020, 17:51:28
Sales deixou o Atlético de Alagoinhas no final de fevereiro e foi para o Jacobina (Atlético de Alagoinhas/Divulgação)

'Não existe treinador sem treinar', critica técnico do Jacobina

Paulo Sales encontrará elenco pela primeira vez momentos antes de partida decisiva contra o Doce Mel, quinta-feira (23)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sem nenhuma vitória no Baianão, o Jacobina passou os últimos quatro meses de interrupção do campeonato na lanterna da tabela, com apenas um ponto. Agora, com o iminente retorno da competição, o cenário que poderia ser de retomada está ainda pior. 

Isso porque o time do interior não voltou a treinar e entrará em campo na quinta-feira (23), às 16h, contra o Doce Mel, adversário direto na briga pelo rebaixamento. Se perder o jogo - que será disputado na Arena Cajueiro, em Feira de Santana -, o Jacobina já estará rebaixado no estadual com uma rodada de antecedência.

Tudo foi feito às pressas, pois a diretoria do Jegue da Chapada, que sempre se posicionou contra a retomada do futebol, havia entrado com um mandado de garantia no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-BA) para que o campeonato não retornasse. Com o revés sofrido, precisou reunir o elenco de última hora para não perder por W.O., o que poderia acarretar em sanções mais graves ao clube.  

Ver essa foto no Instagram

A prioridade é salvar vidas! ????????

Uma publicação compartilhada por Jacobina Esporte Clube (de ????) (@jacobinaesporteclube) em

Os jogadores estavam treinando individualmente em casa e se juntarão pela primeira vez momentos antes de entrar em campo. O técnico Paulo Sales só os reencontrará no dia e local da partida, já que passava a quarentena em casa, na cidade de Jequié, no Sudoeste do estado.

“O contato todo aconteceu ontem. Tenho um compromisso com o clube em cima desses dois jogos que faltam. Poderia falar que não tenho jogadores, já que boa parte deles serão da base, mas vou cumprir com o que foi acertado”, revelou o treinador.

Aliás, Sales até evita o termo treinador: “A palavra já mostra o significado. Não existe treinador sem treinar”, completou. Ele saiu do Atlético de Alagoinhas e chegou no Jacobina no dia 4 de março, mas não chegou nem a estrear como treinador e acompanhou dos bastidores a derrota para o Bahia de Feira no dia 8, na última rodada disputada antes da parada. 

“É uma situação complicada e inédita em termos de futebol profissional. O pessoal do Jacobina estava ciente da possibilidade de entrar em campo, mas o erro foi não reunir o elenco, pelo menos na mesma cidade”, comentou Sales, que como jogador foi campeão brasileiro de 1988 pelo Bahia. Parte dos jogadores não irá sequer comparecer à partida devido à impossibilidade de se deslocar até Feira.

No momento de entrar em campo, a presença de Sales será “muito mais moral do que técnica”, define. E apesar de todas as dificuldades, ele garante que colocará o time em campo para vencer. “O fator importante é que alguns poucos atletas já treinaram comigo. Apesar do Doce Mel estar com o mesmo time, o futebol é atípico e será na igualdade de condições”, acredita.  

Se vencer o Doce Mel, o Jacobina empatará em número de pontos - quatro -, mas deixará a lanterna por ter uma vitória, o que o Doce Mel ainda não tem. A última rodada será disputada no domingo (26), quando o Jacobina visita o Vitória da Conquista, no Lomanto Júnior, e o Doce Mel será mandante contra o Vitória, porém no Joia da Princesa, em Feira de Santana - o município de Ipiaú não liberou a volta do futebol.


*Estagiário sob supervisão do editor Herbem Gramacho 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas