Nos acréscimos, Uruguai vence Chile na estreia nas Eliminatórias

esportes
08.10.2020, 23:24:46
Atualizado: 08.10.2020, 23:35:00
Maxi Gómez fez o gol da vitória uruguaia sobre o Chile de Vidal (Divulgação)

Nos acréscimos, Uruguai vence Chile na estreia nas Eliminatórias

Gol saiu aos 47 do 2º tempo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em jogo com polêmica do VAR, reclamação da seleção derrotada e gol nos acréscimos, o Uruguai estreou nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar com importante vitória sobre o forte Chile, em Montevidéu, por 2 a 1 Luís Suárez, cobrando pênalti, e Máxi Gómez anotaram para os uruguaios, e Alexis Sanchez, com toque de categoria, fez para os visitantes.

Foi um jogo bastante equilibrado e também faltoso no lendário estádio Centenário, em Montevidéu. Mas com os donos da casa mostrando melhor ajuste. Os chilenos erraram bastante, sobretudo no primeiro tempo.

A prova veio no gol de Suárez. O Chile tocava sem objetividade de um lado para o outro até acontecer a roubada de bola. O Uruguai acelerou o lance e veio o toque de mão na área. Pênalti confirmado pelo VAR e batido com precisão.

Bola de um lado, goleiro do outro e dedicado a Muslera. Suárez comemorou a abertura do placar prestando homenagem ao goleiro, que perdeu a mãe no fim de setembro. Foi o 60° gol do agora atacante do Atlético de Madrid pela seleção celeste.

No começo do segundo tempo, foi a vez de estrela chilena aparecer. Alexis Sanchez recebeu passe preciso de Aránguiz e deu toque sutil na saída de Campaña para igualar o marcador.

Quando o jogo caminhava para o empate, uma bola na mão de um defensor uruguaio ignorada pelo árbitro e pelo VAR deixou os chilenos irritados e descontrolados com a falta de critérios. Para piorar, aos 47 minutos, Maxi Gómez recebeu e bateu forte para fazer o segundo.

Foram quase três minutos de espera até o VAR validar o gol. Analisou possível toque de mão no lance. Após reinício do jogo, Campaña ainda salvou o empate chileno ao segurar cabeceio de Roco no último lance.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas