O ângulo está errado

farol econômico
16.04.2018, 02:34:00

O ângulo está errado

Por Donaldson Gomes

Em um país que tenta se consolidar como uma potência agrícola, com 85% dos fertilizantes utilizados vindos do exterior, a Petrobras anunciou no mês passado, e postergou para outubro, o fechamento das unidades da Fafen em Camaçari e em Sergipe. Apesar da demanda, a estatal de petróleo alegou um prejuízo de R$ 800 milhões com as duas unidades – R$ 200 milhões na Bahia e R$ 800 milhões em Sergipe – com a fabricação de fertilizantes e outros produtos na Fafen. O diretor de Refino e Gás Natural da Petrobras, Jorge Celestino, explicou ao CORREIO, na época, que o problema é o gás natural. Fertilizante só dá lucro com gás em abundância e a preços competitivos – o que não acontece no Brasil, ponderou. O cenário, inclusive, seria um dificultador para a venda da unidade. A Fafen utiliza gás natural para produzir amônia, ureia, ácido nítrico, hidrogênio, gás carbônico e Agente Redutor Liquido Automotivo. O gás natural abundante e barato é essencial para a indústria química. Não seria o caso de o país começar a pensar numa política de gás capaz de garantir a competitividade de setores que dependem da matéria-prima?

Questão de sobrevivência
Um estudo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) destaca a importância da matéria-prima para o setor. De acordo com a entidade, somente a matéria-prima representa entre 70% e 90% dos custos da atividade. Por outro lado, o potencial de agregar valor aos insumos no decorrer da cadeia é impressionante. O processo de transformação química do gás natural é capaz de tornar o produto até 15 vezes mais valioso no final da cadeia. Em média, a agregação de valor é de oito vezes. No caso de produtos fabricados pela Fafen, a amônia agrega 2,43 vezes o valor do gás; a ureia, 1,54.  

Cidade ocupada
A hotelaria de Salvador registrou um aumento de 8,39 pontos percentuais na ocupação de leitos, em março. Com o resultado, a médias de ocupação atingiu 64,94%, de acordo com dados divulgados pela Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA). De acordo com o presidente da entidade, Silvio Pessoa, o bom resultado se deu por conta do Fórum Social Mundial (FSM), realizado na capital baiana. "Este resultado se deveu muito ao Fórum Social Mundial, que durou quase uma semana, e a pequenos eventos realizados na cidade. Agora, imagine como teria sido se nós tivéssemos um centro de convenções", pondera. 

No horizonte
Pra vender logo.
Para aquecer as vendas na baixa estação, o Salvador Shopping inicia hoje a promoção de Dia das Mães. O objetivo é estimular a compra antecipada dos presentes.  A cada R$ 300 em notas fiscais, os clientes ganham um cupom para concorrer a cinco cartões de compras no valor de R$ 20 mil cada.   A ação segue até 14 de maio, sendo que as compras realizadas em abril garantem chances em dobro.